Apple participa de festival de cinema e assina acordos para dois filmes

Apesar de ainda velado, o “Apple Studios” (nome fictício para o serviço de conteúdo em vídeo da companhia) é um projeto gigante da Maçã para entrar no mercado de streaming de vídeo — e que já rendeu alguns frutos para a empresa, como o Primetime Emmy Award por “Carpool Karaoke”.

Publicidade

A previsão de investimentos da companhia para o desenvolvimento do serviço é de US$1 bilhão e, nos últimos dias, a Apple decidiu gastar um pouco desse montante durante o Festival Internacional de Cinema de Toronto (Toronto International Film Festival, ou TIFF), que acontece de 6 a 16 de setembro.

Festival Internacional de Cinema de Toronto

O festival, que reúne milhares de produtores, diretores, atores e atrizes do mundo inteiro, acontece anualmente em Toronto (no Canadá); a Apple marcou presença no evento deste ano e quem a representou foram os chefes do futuro serviço, Jamie Erlicht e Zack Van Amburg (ex-executivos da Sony Pictures Television), conforme divulgado pela Variety.

Publicidade

Como o próprio nome do evento já indica, o foco do festival são filmes — algo a que, até agora, a Apple não tem dado tanta atenção. Na verdade, sabemos apenas de um possível contrato de longa-metragem animado em parceria com a Cartoon Saloon, empresa que desenvolveu filmes já indicados ao Oscar, como “The Breadwinner”, “The Secret of Kells” e “Song of the Sea”.

Além da Apple, executivos da Amazon, da Netflix e do Hulu também estão participando do festival em Toronto. Como a concorrência está em peso no evento, a Maçã já logo adquiriu algumas novidades, incluindo os direitos para exibir um filme-documentário que falaremos abaixo.

“The Elephant Queen”

"The Elephant Queen"

A Apple adquiriu os direitos globais de “The Elephant Queen”, um longa-metragem no formato documentário sobre uma matriarca de elefantes que lidera seu rebanho em busca de um novo local para chamar de lar, conforme divulgou o Deadline.

Publicidade

Athena é uma mãe que fará tudo o que estiver ao seu alcance para proteger seu rebanho quando for forçada a deixar seu poço. Essa jornada épica, narrada por Chiwetel Ejiofor, leva a audiência através da savana africana e para o coração de uma família de elefantes. Um conto de amor e perda voltando para casa.

O documentário foi exibido no último sábado, durante o TIFF, e a negociação foi supostamente liderada por Van Amburg e Erlicht. O documentário é dirigido pela premiada cineasta da vida selvagem Victoria Stone e o diretor de fotografia Mark Deeble.

“Wolfwalkers”

Além de “The Elephant Queen”, a Apple adquiriu os direitos para a animação “Wolfwalkers”, também produzida pela Cartoon Saloon em parceria com a Melusine Productions, conforme divulgado pela Bloomberg. O filme, dirigido por Tomm Moore — indicado duas vezes ao Oscar — e Ross Stewart, conta a história de uma jovem caçadora aprendiz chamada Robyn.

Publicidade

Em um tempo de superstição e magia, quando os lobos são vistos como demoníacos, e a natureza um mal a ser domado, uma jovem caçadora aprendiz, Robyn, vai à Irlanda com seu pai para acabar com o último bando de lobos. Mas quando Robyn salva uma garota nativa selvagem, Mebh, sua amizade a leva a descobrir o mundo dos Wolfwalkers e irá transformá-la na coisa que seu pai é encarregado de destruir.

Apesar de recente, o contrato para a exibição do filme “Wolfwalkers” foi fechado antes do TIFF, o que indica que a Maçã e a Cartoon Saloon estão de fato conversando sobre parcerias e projetos. Ainda segundo a Bloomberg, não há informações se os filmes serão exibidos nos cinemas ou apenas no serviço de streaming da Apple.

via MacRumors: 1, 2

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…