O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

AirDrop no iOS

Empresa processa a Apple por tecnologia usada no AirDrop

Há alguns dias, comentamos uma série de processos nos quais a Apple estava — ou ainda está — envolvida. Entre novos e antigos casos, algumas empresas simplesmente não conseguem largar o pé da gigante de Cupertino e, sempre que podem, voltam com novas surpresas desagradáveis para a Maçã.

Publicidade

Esse é o caso da Uniloc, empresa australiana de software de segurança conhecida de outras primaveras — de três outros momentos, para ser mais especifico. Após processar a Apple pela última vez em 2016, a empresa voltou a citar a firma de Cupertino em um novo caso de infração de patente, desta vez relacionado à tecnologia usada no AirDrop.

No relatório enviado ao Tribunal do Texas (nos Estados Unidos), a Uniloc afirmou que a Apple infringiu uma patente registrada pela primeira vez em 2000, uma década antes de a Maçã lançar o recurso para iOS e macOS. A patente em questão trata de um “método e sistema para autenticação de dispositivos eletrônicos” e descreve um ambiente seguro para transferência de dados entre aparelhos que estejam próximos.

Introduzido junto ao OS X Lion 10.7, em 2011, o AirDrop é um protocolo projetado para simplificar o processo de transferência de arquivos, originalmente, de um Mac para o outro. O nome foi usado mais tarde, em 2013, para descrever uma tecnologia que permitia conectar dispositivos iOS entre si e com o Macs — justamente a que a Uniloc afirmou ter sido infringida.

Publicidade

Apesar de ter sido criada há 18 anos, a patente só foi concedida pelo Escritório de Patentes e Marcas dos Estados Unidos (United States Patent and Trademark Office, ou USPTO) em 2006, após passar pelas mãos de diversas empresas — uma delas foi a Philips, mas a maioria era simplesmente agregadora de patentes.

Apesar de ser a atual detentora da patente, a Uniloc não é, portanto, a inventora da tecnologia em questão — ela botou as mãos na patente apenas no fim de 2017. Não obstante, a patent troll pediu uma quantia (não-revelada) em danos da Apple, junto ao reembolso das devidas taxas legais.

Como dissemos, a empresa australiana já havia processado a Maçã em outros momentos — devido a tecnologias usadas no Apple Maps, no ID Apple, no AirPlay e no aplicativo Apple TV Remote. Ela também já usou outras patentes recém-adquiridas para processar outras gigantes da tecnologia, como Microsoft, Sony, McAfee e SEGA.

via AppleInsider

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Mural MM, edição XLIII

Próximo Artigo
Aplicativo Receber To Buy!

Controle suas compras criando listas rápidas com esse app

Posts Relacionados