O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Tim Cook em evento da Apple com a bandeira da China ao fundo

Apple poderá deixar de fabricar produtos na China

A guerra comercial entre Estados Unidos e China pode ter tido uma trégua temporária quando Donald Trump anunciou, na última semana, a suspensão momentânea do aumento das tarifas para produtos importados do País da Muralha — coisa que deve ter feito os executivos da Apple respirarem aliviados em Cupertino. Entretanto, as coisas estão bem longe de uma resolução, como lembrou a Bloomberg.

Publicidade

De acordo com fontes próximas dos planos da companhia ouvidas pela reportagem, a Apple e suas fornecedoras podem vir a considerar uma saída da China caso as tarifas de importação de produtos vindos do país cheguem a 25%. Como se sabe, Trump tem constantemente ameaçado aumentar os impostos para os bens fabricados e importados da China, mas, caso a nova tarifa seja implementada, acredita-se que ela ficará na casa dos 10%; 25% seria uma medida extrema, mais punitiva, do presidente americano.

O fato é que boa parte das parceiras da Apple concentram sua produção justamente na China e uma mudança completa para outros países seria uma operação hercúlea. Ainda assim, as empresas (como Foxconn, Hon Hai e Pegatron) são basicamente submissas aos planos da Maçã, sua fonte principal de lucro, e devem seguir os passos da gigante de Cupertino para onde quer que ela vá. Uma das fornecedoras, inclusive, já teria indicado países alternativos para a produção de outros dispositivos que não o iPhone.

Obviamente, a Apple torce para que tal ação não seja necessária — a própria fonte ouvida pela Bloomberg afirmou que não há qualquer motivo para a mudança por agora. Ainda assim, caso Trump resolva pegar pesado com as tarifas, a saída da China deixa de ser um pensamento distante para ser um plano concreto.

Publicidade

Não é para menos: de acordo com as estimativas do analista Amit Daryanani (da RBC), se Trump aumentar as tarifas dos produtos importados da China em 10%, a Apple terá uma perda de cerca de US$1 nos lucros por ação (no cenário em que todos os produtos da empresa sejam submetidos à nova taxa e a própria Maçã absorva os custos, isto é). Caso os impostos subam 25%, entretanto, essa perda sobe para US$2,50 — ou seja, um valor difícil de administrar mesmo para uma das empresas mais poderosas do mundo.

Vejamos como esse caso há de se desenrolar…

via TechCrunch

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Tamara Hunter, executiva da área de casting

Apple contrata executiva da Sony para conteúdo de vídeo; 50 médicos já trabalham em Cupertino

Próximo Artigo
Campus da Apple em Austin, Texas

Apple investirá US$1 bilhão na construção de novo campus em Austin, no Texas

Posts Relacionados