O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Jeff Williams
Jeff Williams, COO da Apple em evento da empresa

Jeff Williams diz que Apple não quer ser uma “empresa elitista”

Como sabemos, não é do feitio da Apple falar sobre o valor dos seus produtos durante eventos ou mesmo em entrevistas com seus executivos. Contudo, o COO1 da Apple, Jeff Williams, abordou o tabu em torno da política de preços da Maçã durante um discurso para os estudantes da Universidade Elon, nos Estados Unidos.

Publicidade

Inicialmente, Williams contou um pouco da sua carreira e explicou como acabou ingressando na gigante de Cupertino, em 1998. Naquele ano, o executivo tinha acabado de deixar a IBM e estava prestes a entrar para o time da Dell que, segundo ele, estava em alta — foi quando o seu ex-colega de trabalho da IBM, Tim Cook, convidou-o a se juntar à Apple.

Durante a sua retrospectiva, Williams disse que a Apple de 1998 não era (obviamente) o que ela é hoje. Naquela época, a empresa estava saindo de uma série de problemas financeiros e estava prestes a falir — isso foi logo após o cofundador da Maçã, Steve Jobs, ter reassumido o cargo de CEO2 após ter sido demitido, em 1985.

Atualmente, a Apple está entre as marcas mais valiosas do planeta e foi a primeira empresa americana a alcançar US$1 trilhão em valor de mercado, no ano passado. Contudo, o executivo admitiu que não presta muita atenção no valor das ações da Maçã; em vez disso, ele se concentra em “fabricar produtos de qualidade com impacto mundial”, como divulgou o Time News.

Publicidade

Após o seu discurso, um estudante perguntou para Williams se a Apple tinha algum plano para reduzir seus preços e citou um relatório de uma empresa de análise que afirmava que o iPhone custava apenas US$370 para a companhia, mas era vendido por US$1 mil.

As histórias que saem sobre o custo de nossos produtos [foram] a ruína de minha existência desde o começo dos tempos, incluindo nossos primeiros dias. Os analistas realmente não entendem o custo do que fazemos e o quanto nos preocupamos em criar nossos produtos.

Ele também explicou que não é somente o produto que conta, mas todo o trabalho dedicado para a criação de determinado gadget e/ou tecnologia. No caso do Apple Watch, ele contou que a Apple construiu um laboratório de fisiologia completo e contratou cerca de 40 profissionais para organizar uma pesquisa com mais de 10 mil participantes para estudar a melhor forma de medir as calorias queimadas durante os exercícios.

Apesar de tentar justificar o porquê de a política de preços da Maçã ser como é, o executivo admitiu que entende a preocupação dos usuários com o aumento dos preços dos produtos, principalmente em relação ao iPhone.

Publicidade

É algo que estamos muito conscientes. Não queremos ser uma empresa elitista […] queremos ser uma empresa igualitária e temos muitos trabalhos sendo desenvolvidos nos mercados em crescimento.

Sobre esses trabalhos, é provável que Williams tenha se referido à possível fabricação de iPhones topos-de-linha na Índia, além do aguardado realinhamento dos preços desse dispositivo em alguns mercados.

via MacRumors

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Apple Watch

Como mensagens de usuários enviadas para Tim Cook impactam a Apple

Próximo Artigo
Apple News

Receitas baixas no Apple News ainda geram frustração em editores

Posts Relacionados