O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apple deverá lançar um “SiriOS” em 2020, diz relatório

Será essa, a arma da Maçã para perseverar no mundo das assistentes digitais?
HomePod

É inegável: no disputadíssimo campo das assistentes digitais, a Apple está atrás (para não dizer comendo poeira) das suas três principais concorrentes — Google, Amazon e (em menor escala) Microsoft. Isso causa um problema: com a interação por voz caminhando para se tornar um mercado próprio e uma das tecnologias definidoras da próxima década, como a Maçã poderá se destacar perante as rivais? Bom, agora nós temos uma ideia.

Publicidade

A firma de investimentos Mangrove Capital Partners publicou recentemente um relatório [PDF] analisando o cenário atual do segmento de assistentes digitais e traçando uma rota para seus passos ao longo dos próximos dez anos. De acordo com as previsões dos analistas, as tecnologias de reconhecimento e sintetização de voz chegarão a níveis tão avançados que equipararão uma conversa com um robô ao mesmo nível do diálogo com outro ser humano (em termos técnicos, ao menos); com isso, as pessoas passarão a usar a voz com muito mais frequência para controlar seus dispositivos.

Qual a resposta da Apple para essa revolução anunciada? Vejam o trecho do relatório destacado abaixo:

A comunidade das tecnologias de voz espera que a Apple lance um “SiriOS” para desenvolvedores na WWDC 2020, o que ajudaria a acelerar a inovação e a adoção da assistente. “Um ‘SiriOS’ é desejável para permitir a inovação e é essencial para equiparar o progresso feito pela Amazon e pelo Google com seus assistentes de voz”, segundo Bret Kinsella, editor da Voicebot.ai.

O relatório não fornece outras informações ou especulações sobre que “cara” esse sistema tomaria, mas não é muito difícil ter algumas suspeitas. Atualmente, a Siri é uma assistente presa aos sistemas em que está inserida — macOS, iOS, tvOS, watchOS; criando um sistema operacional próprio para ela, efetivamente a Apple daria liberdade para a simpática senhora alçar voos mais altos.

Publicidade

Desenvolvedores teriam acesso a ferramentas muito mais robustas de integração/personalização, sem as limitações de cada sistema operacional; além disso, eles poderiam desenvolver para a assistente de uma vez só e aplicar as novidades em todas as plataformas em que ela estivesse presente. A Siri seria como um sistema independente dentro de outros sistemas — mas isso, claro, é pura especulação nossa.

Ao menos um triunfo a Apple tem: sua imagem fortemente associada à privacidade e à proteção dos dados do usuário. Segundo os analistas da Mangrove, essa é uma questão cada vez mais levada em conta pelos consumidores — uma pesquisa recente da Microsoft revelou que 41% dos usuários estão preocupados com a própria privacidade em assistentes digitais, especialmente quando o assunto é audição passiva (quando você não emite um comando expresso para que a tecnologia lhe ouça).

A Apple sabe dessa vantagem e continua tirando proveito dela, seja na sua publicidade como nas aquisições que faz: um bom exemplo é a compra da Silk Labs, startup focada no processamento local de comandos de voz. Ou seja, se Tim Cook e sua turma realmente se dedicarem a construir um “SiriOS” sólido e continuarem focando na privacidade, a Maçã tem todas as condições para ir longe no segmento. Será?

via AppleInsider

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
iPhone XS Max

LG poderá fornecer painéis OLED para alguns dos iPhones de 2019

Próximo Artigo
Capa do podcast #331

MacMagazine no Ar #331: SSD do MacBook Air, 59 novos emojis, logo "arco-íris", design dos novos iPhones e mais!

Posts Relacionados