O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Foxconn expande contratações para fabricação dos novos iPhones

O pico de contratação acontece anualmente logo antes do evento especial da Apple, em setembro
Trabalhador da Foxconn
humphery / Shuterstock.com

Estamos prestes a adentrar agosto, o que significa que faltam pouco mais de seis semanas até a apresentação dos novíssimos iPhones. Com a aproximação da data, algumas das principais parceiras da Maçã estão abrindo mais posições para conseguir dar conta da demanda, a exemplo da Foxconn.

Publicidade

De acordo com o Economic Daily News, a maior fornecedora da Apple está expandindo sua contratação sazonal em Shenzhen (China), além de oferecer bônus para os funcionários existentes de até CNY4.500 (~R$2.472) para que eles renovem seus contratos imediatamente.

Todos esses esforços deverão cumprir com a demanda inicial de fabricação dos novos iPhones, os quais, nas primeiras semanas de vendas, costumam atingir a casa das dezenas de milhões de unidades; como informamos na semana passada, alguns analistas preveem que a Apple comercializará cerca de 75 milhões de aparelhos entre setembro e janeiro de 2020.

Ainda segundo o Economic Daily News, as fábricas chinesas da Foxconn deverão produzir os dois modelos topos-de-linha (sucessores dos iPhones XS e XS Max), ao tempo em que parte dos pedidos do modelo sucessor do iPhone XR serão montados nas instalações indianas da fabricante.

A linha de iPhones deste ano deverá ser semelhante à atual: três aparelhos, sendo dois deles com tela OLED1 e um de LCD2. A principal mudança tem tudo para ser as câmeras, que deverão aumentar de duas para três nos flagships e de uma para duas no modelo de entrada — sem falar na câmera frontal, que também deverá ser atualizada.

via MacRumors

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Ações da Apple

Apple volta a passar a Amazon e se aproxima novamente do US$1 trilhão em valor de mercado

Próximo Artigo
Oliver Schusser para a Billboard

Chefe do Apple Music destaca "curadoria humana" do serviço

Posts Relacionados