O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Mesmo crescendo, uso do Apple Pay segue tímido nos EUA

Entre os americanos, o uso do cartão de crédito ainda reina na hora de ir às compras
iPhone sendo usado para compra com o Apple Pay

O Apple Pay foi lançado em 2014, e os quase cinco anos do serviço de pagamento móvel da Maçã podem ser descritos em apenas duas palavras: muita expansão.

Publicidade

Apesar de o crescimento ser significativo tanto no mercado americano quanto fora dele, ainda há muito chão para o Apple Pay (e os outros métodos de pagamento móveis), como visto em uma nova pesquisa divulgada pela CNBC.

O “obstáculo” para o crescimento do Apple Pay nos Estados Unidos não é nem a existência de plataformas concorrentes; afinal, o serviço da Maçã está entre os mais proeminentes. Na realidade, é o sistema de pagamentos móveis em si que não consegue decolar, principalmente no território americano (ficando atrás de outros países quanto à adoção desses serviços).

De acordo com os dados da CNBC, o método de pagamento mais comum nos EUA é o bom e velho cartão de crédito (80%), seguido por pagamentos em dinheiro (79%) e cartões de débito (59%). Os cheques físicos ficam em 4º lugar (53%), e só então aparece um dos primeiros métodos de pagamento online, o PayPal (44%). Com uma margem de diferença gritante, vem o Apple Pay, em 6º lugar, com 9% da expressividade.

Índice de pagamentos móveis nos Estados Unidos

Essa taxa baixa de adoção dos sistemas de pagamento móveis em geral nos EUA é ainda mais contraditória quando analisamos a “onipresença” de iPhones e Androids no país. Nesse sentido, mais de 81% dos americanos possuem um smartphone e, ainda que o futuro dos métodos de pagamento online seja promissor, a maioria dos usuários ainda vê mais vantagens nos métodos tradicionais.

Para se ter uma ideia do quanto a adoção desses serviços é baixa na terra do Tio Sam, os dados da CNBC mostram que os dois maiores métodos de pagamento na China são móveis: o WeChat, com 84%, e o AliPay, com 81%. Só então vem o dinheiro (64%), seguido pelos cartões de débito (54%) e crédito (52%); na China, o Apple Pay ocupa o 7º lugar, sendo responsável por 17% do total de compras no país (mais do que nos EUA).

Índice de pagamentos na China

Um ex-executivo do Samsung Pay atribuiu a timidez dos métodos de pagamentos móveis no território americano à falta de aceitação desse sistema por lá:

Os comerciantes precisam alcançar uma certa marca antes que os consumidores levantem a possibilidade de migrar totalmente para os sistemas de pagamento móveis. É preciso haver pelo menos 90% de aceitação para que até 1% dos consumidores mude de hábito.

Veremos se o Apple Card, lançado oficialmente na semana passada, conseguirá guinar a adoção do seu serviço “irmão” (o Apple Pay), nos EUA. Essa talvez seja a maior expectativa da Maçã, já que os dois serviços então intimamente ligados e o Apple Card, por sua vez, oferece uma série de benefícios que poderão atrair ainda mais clientes.

via AppleInsider

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Alto's Odyssey

Promoções do dia na App Store: Alto's Odyssey, Dark Wave, Labyrinth Journey e mais!

Próximo Artigo
Filme - Cópias: De Volta à Vida

Filme da semana: compre "Cópias: De Volta à Vida", com Keanu Reeves, por R$9,90

Posts Relacionados