O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Instagram bane memes sobre suicídio e exclui app que imitava a aba “Seguindo” [atualizado]

Versão web também requer, agora, login para ver todas as fotos
Instagram

Recentemente, o Instagram deu início a (e completou) algumas mudanças na sua plataforma para torná-la não só mais segura, mas também garantir o máximo de interação dos usuários, incentivando até mesmo aqueles que não possuem uma conta a criá-la.

Publicidade

Como previsto, o serviço também removeu a aba “Seguindo” do app, fazendo com que alguns desenvolvedores criassem opções para “imitar” o recurso — mas o Instagram não deixou barato, como veremos a seguir.

Login para ver as fotos

Quem não tinha uma conta do Instagram e gostava de acessar a versão web para ver as fotos de perfis públicos agora terá que encontrar outro método (leia-se: criar uma conta) para ver as imagens no serviço. Isso acontece pois agora existe um “limite” para visualizar imagens sem estar logado em uma conta.

Antes da atualização, implementada nas últimas semanas, qualquer pessoa podia procurar perfis públicos no Instagram através de um navegador sem necessariamente ter um perfil. Agora, depois de passar pelas primeiras 12 postagens, o Instagram forçará um login o qual você não pode cancelar (apenas reiniciando a página).

Login no Instagram para web

Um porta-voz do Facebook confirmou a mudança:

Agora, se você não estiver logado no Instagram, poderá ver apenas uma certa quantidade de postagens em perfis públicos antes de ser solicitado a fazer login. Isso é para ajudar as pessoas a ver fotos no Instagram e entender como obter a melhor experiência do Instagram, fazer parte da comunidade, conectando-se e interagindo com as pessoas e as coisas que elas amam.

À medida que o Instagram se expande para mais de 1 bilhão de usuários, táticas como essa podem ajudar o serviço a manter o seu crescimento — inclusive quanto a publicidade. Nesse sentido, o Facebook está tentando dobrar a quantidade de anúncios no app a fim de manter a plataforma como a principal fonte de renda da companhia.

Banimento de ainda mais posts sobre suicídio

A rede social também expandiu sua proibição de publicações que fazem alusão a suicídio para incluir uma gama mais ampla de conteúdo que podem representar isso, como ilustrações de automutilação, desenhos e até memes (como se fazer um meme sobre essa questão já não fosse errado o suficiente).

Durante o último mês, expandimos ainda mais nossas políticas para proibir mais tipos de conteúdos sobre automutilação e suicídio. Não permitiremos mais representações fictícias de automutilação ou suicídio no Instagram, como desenhos, memes ou conteúdo de filmes ou quadrinhos que usam imagens gráficas.Também removeremos outras imagens que podem não mostrar automutilação ou suicídio, mas incluem materiais ou métodos associados.

Em uma publicação sobre a mudança de política, o chefão do Instagram, Adam Mosseri, explicou que os novos filtros são “baseados em conselhos de especialistas de organizações acadêmicas e de saúde mental”, e afirmou que o objetivo da plataforma é encontrar “o difícil equilíbrio entre permitir que as pessoas compartilhem suas experiências de saúde mental e também proteger outras pessoas de serem expostas a conteúdo potencialmente prejudicial”.

Remoção de apps que imitavam a aba “Seguindo”

Como supracitado, no início de outubro o Instagram removeu a controversa aba “Seguindo”, a qual permitia que os usuários visualizassem a atividade das pessoas que seguia, incluindo curtidas, comentários, novos seguidores, etc.

Contudo, assim que o recurso foi removido oficialmente, alguns apps de terceiros — com o objetivo de replicar o recurso — começaram a ganhar popularidade, entre eles o app Like Patrol, o qual havia sido lançado antes mesmo da mudança, em junho passado.

Publicidade

Essencialmente, o app permitia que você visualizasse as curtidas, os comentários e os novos seguidores de outros usuários — permitia, no passado, pois o Instagram derrubou o app, como divulgado pela CNET (contudo, por algum motivo ele ainda está listado na App Store).

A cópia [de dados] viola nossas políticas e tomamos medidas contra as empresas que achamos que estão envolvidas nela. Como a Patrol estava copiando os dados dos usuários, estamos tomando as medidas necessárias contra eles.

Enquanto para algumas pessoas a aba “Seguindo” era apenas uma opção adicional do Instagram, para outras ela era vista como combustível para “perseguição” na rede social, e foi por isso que o Facebook decidiu removê-la definitivamente.


Ícone do app Instagram
Instagram de Instagram, Inc.
Compatível com iPhones
Versão 206.1 (188.7 MB)
Requer o iOS 12.0 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App Store Código QR Código QR

via Mashable, TechCrunch, 9to5Mac

Atualização, por Rafael Fischmann 11/11/2019 às 15:00

Demorou, mas agora sim o Like Patrol foi devidamente removido da App Store. De acordo com a Apple, ele “violava algumas de suas regras”.

Obviamente, os desenvolvedores do aplicativo ainda poderão contestar as atitudes de ambos Facebook e Apple. Mas dificilmente farão isso.

via CNET

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Tim Cook e Gavin Newsom

Apple investirá US$2,5 bilhões para aliviar a crise imobiliária na Califórnia

Próximo Artigo
Ícone do Microsoft Office para iOS

Novo Microsoft Office para iOS combina Word, Excel e PowerPoint em um só app

Posts Relacionados