O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

iPads expostos em loja da Apple
Cineberg / Shutterstock.com

Coronavírus: iPads na China têm demanda em alta e estoque em baixa

Os efeitos da pandemia do Coronavírus (COVID-19) continuam sendo sentidos em todos os aspectos da vida cotidiana, das operações das empresas e da política global. Agora há pouco, a Apple anunciou o fechamento das suas 17 lojas na Itália até segunda ordem. Agora, notícias da China indicam que a Maçã poderá ter ainda mais problemas de estoques no país — em relação, especificamente, ao iPad.

Publicidade

As informações são do Nikkei Asian Review: aparentemente, a demanda pelos tablets da Maçã está em alta no País da Muralha porque os consumidores estão recorrendo aos dispositivos para estudo e trabalho doméstico, já que, com a maioria das atividades coletivas suspensas na China até segunda ordem, boa parte dos cidadãos estão vendo-se obrigados a trabalhar e estudar das suas casas. Para essas tarefas, como bem se sabe, o iPad é um ótimo aliado — a própria Apple enviou tablets a empregados e parceiros seus isolados no país.

Há um problema, entretanto: o mesmo fenômeno que está causando o aumento na demanda pelos iPads está, ao mesmo tempo, diminuindo o seu ritmo de produção. Como já sabemos, o surto do Coronavírus tem desacelerado fábricas e linhas de montagem no mundo inteiro, especialmente na China; com isso, a Maçã não está conseguindo produzir tablets suficientes para satisfazer a demanda no país.

Os problemas são mais acentuados com os produtos mais baratos da linha: o iPad de 10,2 polegadas tem prazo de entrega estimado em três a quatro semanas na China, enquanto o iPad Pro de 12,9 polegadas (no outro extremo da faixa de preço) também tem disponibilidade limitada, sendo enviado em até duas semanas aos consumidores. Revendedoras locais, como a T-Mall, estão implementando limites de compras, permitindo que consumidores adquiram no máximo seis iPads de uma vez só.

Publicidade

As notícias, claro, não são muito boas para a Apple — a empresa passou os últimos anos lutando por uma expansão no concorridíssimo mercado chinês e agora, na primeira oportunidade, não tem condições de satisfazer a demanda. Ainda assim, nem tudo é negativo: a analista Katy Huberty, do Morgan Stanley, por exemplo, aposta que os consumidores da China gastarão mais dinheiro em aplicativos e serviços da Maçã, aumentando o faturamento da empresa.

Resta saber, agora, quando a Apple conseguirá normalizar o ritmo na produção — e se, quando a poeira baixar, os chineses ainda terão esse interesse aguçado nos iPads. Vamos ver.

via Cult of Mac

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Cenas do Instagram

Cenas do Instagram ganham filtros e efeitos; Things e IMDb são atualizados

Próximo Artigo
Fish Fly Fever

Promoções do dia na App Store: Fish Fly Fever, Manageable, Jump Desktop e mais!

Posts Relacionados