Chips ARM de futuros Macs poderão custar até 60% menos que os da Intel

Processador

Há algumas semanas, o conhecido analista Ming-Chi Kuo previu que os primeiros Macs equipados com chips ARM1 poderão chegar até o fim deste ano. Agora, ele não só reafirmou essa possibilidade, como também inferiu que a Maçã planeja lançar vários computadores com seus próprios processadores em 2021 — divulgou o MacRumors.

Publicidade

Mais do que isso, Kuo acredita que os processadores baseados na arquitetura ARM aumentarão significativamente a vantagem competitiva da linha de Macs, além de reduzir os custos da Apple com processadores de 40% a 60% (em relação às peças adquiridas atualmente da Intel).

A adoção da arquitetura ARM nos chips de Macs permitirá à Apple mais “independência” no desenvolvimento de novos hardwares, uma vez que a empresa não dependerá das incumbências da fabricante de chips americana. Por fim, essa será mais uma maneira de distanciar ainda mais as especificações de Macs e PCs.

A longo prazo, Kuo espera que a adoção dessa tecnologia aumente substancialmente as vendas de computadores da Apple. Atualmente, a Maçã comercializa cerca de 20 milhões de Macs anualmente, porém esse número poderá aumentar para 30 milhões de unidades.

USB4

Apesar da “economia” proporcionada pela adoção dos chips ARM, a Apple poderá ter que arcar com alguns custos adicionais que derivam disso.

Hoje, a companhia usa o controlador USB integrado no chipset da Intel em Macs e, com a mudança, a Apple terá que obter essa tecnologia de outro fornecedor — presumivelmente da ASMedia Technology, a qual poderá ser responsável por implantar o protocolo USB4 em Macs.

Nesse sentido, Kuo especula que a Apple continuará oferecendo suporte à USB 3.1 em 2020 e 21. A partir de 2022, a ASMedia poderá desenvolver os novos controladores USB4 para Macs — o qual se baseia na interface Thunderbolt 3, com algumas melhorias.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…