E lá vamos nós para mais um giro de notícias sobre a pandemia do novo Coronavírus (COVID-19) — com mais reaberturas de lojas e mais informações sobre a API1 de combate ao vírus desenvolvida pela Apple e pelo Google.

Publicidade

Vamos lá, então.

Lojas nos EUA

Para começar, de acordo com a Reuters, a Maçã anunciou que quase 100 das suas lojas nos Estados Unidos reabrirão ao longo dessa semana, conforme as cidades do país vão adotando medidas graduais de retomada das atividades. Estão incluídas na leva de reabertura algumas lojas da Califórnia, do Arizona, da Flórida, da Geórgia, de Indiana, de Nova York e do Texas.

Apple Union Square
Apple Union Square, uma das lojas que reabrirá parcialmente

Várias dessas lojas, entretanto, não abrirão completamente: elas oferecerão somente serviços de balcão, como entrega de produtos e serviços rápidos de suporte, em estruturas provisórias montadas na entrada dos espaços. Isso acontecerá porque, em algumas cidades e estados, a reabertura do comércio não-essencial foi autorizada somente nesses termos, sem presença de consumidores nos espaços internos das lojas.

Outras unidades de varejo, em estados que já permitiram a reabertura do comércio de forma plena, receberão os consumidores normalmente — mas com as medidas implementadas pela Maçã no restante do planeta, como limite de capacidade, checagem de temperatura dos visitantes e requerimento do uso de máscaras. Lojas localizadas dentro de shoppings, por ora, permanecerão fechadas.

Publicidade

A Apple pede que consumidores chequem as páginas online da loja que desejam visitar para obter informações sobre horário de funcionamento e formas de atendimento.

Apple Sydney

Além da sua terra natal, a Apple anunciou também que reabrirá sua única loja em Sydney, Austrália. O espaço tinha sido fechado para reformas em janeiro passado, antes de o país da Oceania implementar medidas de isolamento social, e teve sua reabertura adiada por conta do Coronavírus.

Apple Retail Store - Sydney
Apple Sydney antes da reforma

A Apple Sydney reabrirá no dia 28 próximo (quinta-feira) com um novo visual e todos os elementos de varejo recentes da empresa, como um telão para as sessões do Today at Apple, mobiliário renovado e uma sala de reuniões (Boardroom). Nós, claro, ficaremos de olho acerca das mudanças.

SwissCovid

Por fim, de acordo com a BBC, a Suíça lançou — ainda em fase de testes — o primeiro aplicativo integrado à API de combate ao Coronavírus desenvolvida pela Apple e pelo Google: o SwissCovid.

Por ora, o aplicativo está disponível para membros do exército, profissionais da área médica e servidores públicos; ele será testado ao longo das próximas semanas e, caso aprovado pelo parlamento suíço, será liberado para toda a população do país — possivelmente já em meados de junho.

O funcionamento do aplicativo fica dentro das diretrizes estabelecidas pela Apple e pelo Google; ele não captura a geolocalização do usuário, detectando possíveis eventos de contato com pessoas contaminadas somente via Bluetooth. Todos os dados ficam armazenados localmente no smartphone dos usuários; caso um contato seja identificado, a pessoa tem a opção de enviar esses dados para as autoridades locais de saúde.

Publicidade

As notícias, certamente, serão recebidas com entusiasmo no Vale do Silício: ao longo das últimas semanas, vários países (bem como alguns estados dos EUA) expressaram descontentamento com a API, preferindo adotar soluções próprias de rastreamento do Coronavírus. Se o experimento suíço der certo, as gigantes tecnológicas terão uma boa carta nas mãos para incentivar outros locais a implementarem a tecnologia.

via AppleInsider

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…