O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

QuickPath no iPhone

Apple é processada por usar gestos de deslizar no iOS; empresa ganha recurso sobre royalties de músicas

Mais um dia, mais um processo. Nos imbróglios mais recentes da Apple, veremos que a companhia foi processada por implantar gestos que requerem deslizar o dedo na tela — como o “Deslize para desbloquear” e o QuickPath.

Publicidade

Por outro lado, a companhia venceu uma apelação no Canadá sobre um processo de 2017 no qual era acusada de não pagar royalties de músicas incluídas no iTunes — mesmo que elas não tivessem sido baixadas ainda.

Processo sobre gestos do iOS

Uma empresa sueca chamada Neonode abriu uma ação contra a Apple, mais especificamente contra recursos como o QuickPath (no qual é possível deslizar os dedos no teclado digital para escrever). A queixa, apresentada no Tribunal Distrital do Texas (nos Estados Unidos), sugere que esses gestos violam diretamente algumas patentes de Neonode.

As invenções em questão, sob os registros 8.095.879 e 8.812.993, abrangem interações baseadas em gestos e ícones ativados por toque em dispositivos touchscreen.

Publicidade

As patentes foram garantidas à Neonode no início de 2012, embora a empresa afirme que a solicitou pela primeira vez cerca de dez anos antes. Além disso, a empresa alega que comercializou dispositivos móveis touchscreen na Europa, como o Neonode N1, o N1m e o N2.

Na mesma época, a Apple processou fabricantes de dispositivos Android, como a Samsung, por supostamente violarem a própria patente referente ao “Deslize para desbloquear”. A patente (alegadamente) da Neonode foi usada pela Samsung como defesa contra o processo da Apple, que por sua vez teve o invento derrubado. Agora, anos depois, isso voltou à tona.

De acordo com a Neonode, a patente supostamente infringida abarca uma gama de dispositivos da Apple, como iPhones, iPads e até Apple Watches. A empresa também diz que a Maçã tem conhecimento da infração desde 2012, mas que nada foi feito.

Publicidade

Por tudo isso, a empresa sueca exige um julgamento por júri e indenização pela violação, bem como uma liminar permanente sobre o uso da tecnologia.

Apelação sobre royalties de músicas

O Tribunal Federal de Apelação do Canadá deu o veredito sobre um processo de 2017 entre a Apple e a Sociedade de Compositores, Autores e Editores de Música do Canadá (SOCAN), além de outras empresas.

Para os demandantes, a Maçã deveria começar a pagar royalties assim que as composições fossem divulgadas na iTunes Store. Segundo a decisão da justiça canadense, porém, os compositores não têm direito ao pagamento de direitos autorais quando a música é publicada pela primeira vez, somente após o download ou transmissão.

Publicidade

A decisão se baseou, em parte, na definição de “comunicação” de uma obra musical, que a Suprema Corte do Canadá usou para se referir ao streaming ou ao download de uma música, mas não ao ato de publicá-la online.

O diretor jurídico da SOCAN disse ao The Canadian Press que a decisão coloca o Canadá “muito atrás de outras jurisdições em termos de compensação dos proprietários dos direitos autorais pelo uso de suas músicas”.

via AppleInsider, Patently Apple

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Pholorize

Promoções do dia na App Store: Pholorize, Runmatic, Emojise e mais!

Próximo Artigo
SSD OWC Mercury Extreme Pro 6G de 4TB

OWC lança SSD de 4TB em versão de 2,5"; confira mais novidades em acessórios

Posts Relacionados