O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Logo da Apple e bandeira da Irlanda
The Sun

Decisão que obrigou Apple a pagar 13 bilhões de euros em impostos à Irlanda é anulada

O Tribunal Geral da União Europeia (GCEU) anulou, hoje, uma decisão da Comissão Europeia que obrigou a Apple a pagar 13 bilhões de euros (quase R$80 bilhões) em impostos ao governo irlandês. As informações são do RTÉ.

Publicidade

Como muitos devem se lembrar (ou não), a gigante de Cupertino foi condenada a pagar a multa bilionária em 2016, quando a UE determinou que os benefícios fiscais oferecidos pelo governo da Irlanda à Apple desde 1991 (ou seja, por mais de duas décadas) eram ilegais. Na época, tanto o governo irlandês quanto a Maçã recorreram da determinação.

Com a decisão de hoje, o GCEU apoiou a Apple e declarou que a autoridade da UE responsável pela acusação — liderada pela chefe do núcleo antitruste do órgão, Margrethe Vestager — falhou em mostrar que os acordos fiscais da Irlanda com a empresa eram ilícitos. A UE, porém, pode (e deverá) recorrer da decisão.

A #EUGeneralCourt anula a decisão da @EU_Commission sobre as #TaxRulings [concessões fiscais] irlandesas a favor da @Apple #Apple #EUCommission #StateAid

A Apple acolheu a decisão, declarando à Bloomberg1 que o caso “não era sobre o valor dos impostos”, mas onde a empresa é “obrigada a pagar”. Além disso, ela acrescentou que pagou mais de US$100 bilhões em impostos corporativos em todo o mundo na última década e “dezenas de bilhões a mais em outras taxas”.

Já o Ministério das Finanças da Irlanda disse que “sempre foi claro que não houve tratamento especial quanto às operações da Apple no país”, reverberando a acusação de auxílio fiscais ilícito.

Publicidade

Embora a Apple já tenha feito o pagamento de 14,5 bilhões de euros (€13,1 bilhões cobrados originalmente pelo órgão, mais €1,4 bilhão em juros), o montante está atualmente em uma conta de garantia da UE — onde permanecerá até o resultado de qualquer recurso sobre o caso.

Como dissemos, é provável que a UE apele da decisão de hoje, levando o caso de volta ao GCEU dentro de dois meses. Se isso acontecer, o processo poderá ser estendido por mais dois ou três anos… ou seja, essa disputa ainda não acabou.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Campanha mexicana da Apple explica por que usuários migraram para o iPhone

Próximo Artigo
Apps da App Store

Regulamento mira lojas de apps e dá mais direitos a desenvolvedores na Europa

Posts Relacionados