Apple diz não ter encontrado indícios de trabalho forçado em fornecedora acusada de violações

Apple Store na China

Anteontem, falamos aqui sobre 11 companhias chinesas que entraram recentemente em uma lista do Departamento de Comércio dos EUA — todas elas foram acusadas pelo órgão de violar os direitos humanos da população uigure, no noroeste da China, com trabalho forçado e coleta involuntária de dados biométricos. Uma das empresas, a Nanchang O-Film Tech, é fornecedora da Apple.

Publicidade

Pois hoje a Maçã revelou que, em uma investigação própria, nenhuma violação foi encontrada. Esse foi o comunicado fornecido pela empresa ao New York Times1:

A Apple se dedica a assegurar que todos na nossa cadeia de fornecimento sejam tratados com dignidade e respeito. Nós não encontramos nenhum indício de trabalho forçado em nenhuma linha de produção da Apple e continuaremos monitorando.

Segundo Josh Rosenstock, porta-voz da Maçã, a empresa soube das acusações contra a Nanchang no início do ano e imediatamente enviou investigadores ao local. Auditorias surpresa foram realizadas ao longo dos últimos dois meses, com direito a verificação da documentação dos trabalhadores e entrevistas com os funcionários em seus idiomas nativos; no fim das contas, a investigação não encontrou nenhum indício de violação dos direitos humanos ou trabalhistas.

A reportagem do NYT citou algumas outras gigantes que são clientes das fornecedoras chinesas citadas na lista. Entre elas, temos o Google, a HP, a Ralph Lauren, a Tommy Hilfiger e a Hugo Boss.

Publicidade

Ainda não se sabe, entretanto, se a investigação particular da Apple terá efeito na decisão do Departamento de Comércio dos EUA. Por ora, a Nanchang e as outras empresas citadas na inglória lista continuam sujeitas a sanções do governo Trump, como a impossibilidade de negociar com empresas americanas.

Vamos ver onde isso vai dar, portanto.

via AppleInsider

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…