Amazon paga menos comissão à Apple na App Store

Amazon Prime Video no iPad

Como muitos devem ter lido aqui no MacMagazine, foi realizada, ontem (29/7), uma audiência no Congresso americano com os CEOs1 de algumas das maiores empresas de tecnologia americanas, incluindo a Apple, acerca de um inquérito que investiga possíveis práticas anticompetitivas no mercado.

Publicidade

Apesar de todas as declarações afirmando não beneficiar desenvolvedores em específico e tratar “todo mundo de forma igual”, descobriu-se que a Apple ofereceu à Amazon uma “oferta” para trazer o Prime Video (serviço de streaming de gigante de Bellevue) à App Store. As informações são da Bloomberg2.

Em 2016, o chefe de serviços da Apple, Eddy Cue, ofereceu um acordo ao CEO da Amazon, Jeff Bezos, no qual a Amazon compartilharia 15% da receita gerada por novos assinantes provenientes da plataforma da Maçã. Como sabemos, a Apple normalmente cobra uma taxa de 30% para as assinaturas de aplicativos da App Store, com o número caindo para 15% para assinaturas por mais de um ano.

A proposta foi detalhada em um email divulgado pelo Comitê Judiciário da Câmara dos Estados Unidos como evidência da investigação, a qual foi divulgada por Mark Gurman, da Bloomberg.

Agora sabemos como a Apple convenceu a Amazon a finalmente colocar o Prime Video na App Store em 2017: a Apple concordou em receber apenas 15% da receita das assinaturas do Prime Video feitas no iOS, contra os 30% que estavam recebendo de outras pessoas.

Ainda no email, Cue recapitulou os termos de uma aparente reunião com Bezos, a qual culminaria num acordo para o lançamento do Prime Video no iOS e na Apple TV. Na época, a ausência do serviço na plataforma da Apple — resultado da resistência de Bezos em lançar o serviço em dispositivos que competiam com a Fire TV — era foco de diversas reclamações por clientes e consumidores da Maçã.

Juntamente a uma cobrança de 15% nas assinaturas, a Apple concordou em apoiar a integração com a Siri e o então novo app Apple TV, além de incorporar os metadados do Prime Video para pesquisas com a Siri e o Spotlight. Como parte do acordo, a Apple levaria 15% das assinaturas processadas no aplicativo para “vender” outros serviços de streaming, como o Showtime.

Publicidade

O acordo finalizado nunca foi tornado público e não se sabe se os termos do contrato foram alterados no momento do lançamento do Prime Video na plataforma da Maçã, em dezembro de 2017. Não obstante, a “oferta” põe em questão as alegações feitas pelo CEO da Apple, Tim Cook, e de outros executivos, sobre as políticas da App Store.

Cook dobrou a postura durante o interrogatório, dizendo que a Apple “trata todos os desenvolvedores da mesma forma”.

Faturamento da Amazon como revendedora da Apple

Os congressistas americanos levantaram, ainda, outra questão sobre a relação entre a Apple e a Amazon. De acordo com documentos exibidos durante a audiência, a previsão era de que a Amazon faturasse US$3,2 bilhões no primeiro ano de seu acordo de revenda com a Apple, fechado no fim de 2018.

Vale notar que o montante de US$3,2 bilhões seria o faturamento bruto — os lucros da Amazon com o acordo seriam de aproximadamente US$1,7 bilhão. Além disso, aparentemente tais previsões foram feitas pela Apple, como é possível notar no rodapé do documento.

Pelo visto, tudo isso ainda vai dar o que falar…

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…