Rede de anúncios da Apple terá “acesso privilegiado” aos dados dos usuários no iOS 14 Em meio às trocentas acusações de práticas monopolistas…

Não é novidade para ninguém que o iOS 14 representará o maior salto dado pela Apple até hoje na limitação dos rastreadores provenientes de anunciantes — e, portanto, na própria privacidade do usuário. De acordo com uma matéria recente da Forbes, entretanto, essas limitações poderão ser relaxadas em um caso específico: o da própria Maçã.

Publicidade

Segundo a matéria, o iOS 14 terá um painel especial para os chamados “Anúncios da Apple”, rede administrada pela empresa que exibe publicidade nas buscas da App Store, no Apple News e no aplicativo Bolsa. Neste painel, acessível por meio dos Ajustes de cada aparelho, os usuários poderão ligar ou desligar a exibição de anúncios personalizados, além de visualizar as informações coletadas pela empresa para o direcionamento desses anúncios.

Especialistas ouvidos pela Forbes classificam o painel como uma espécie de “acesso preferencial”. Todas as outras redes de anúncios (incluindo as de gigantes da área, como o Google e o Facebook) precisarão submeter-se a um novo conjunto de regras muito mais estrito, em que cada aplicativo que queira rastrear o usuário precisará receber essa permissão individualmente — a mudança já gerou, inclusive, reclamações de redes de anúncios europeias.

Mais especificamente, a Apple trouxe uma mudança em relação ao IDFA, o código identificador utilizado por anunciantes para “rastrear” um usuário (anonimamente, embora haja controvérsias) por meio de diferentes páginas e aplicativos no iOS. Usuários sempre tiveram a opção de desligar o próprio IDFA para não receber anúncios personalizados, mas a partir do iOS 14, ele virá desligado por padrão — os usuários precisarão conceder permissão a ele se quiserem receber os anúncios personalizados, e não o contrário.

Publicidade

Por outro lado, a publicidade da Apple continuará enviando anúncios personalizados por padrão. Vale notar que a própria linguagem usada pela Apple é radicalmente diferente nos dois casos — ao perguntar se o usuário deseja habilitar o rastreamento em apps ou serviços de terceiros, o texto é quase assustador:

Pop-up do iOS 14 onde o usuário pode conceder ou negar acesso aos trackers em aplicativos
“‘Pal About’ gostaria de pedir permissão para lhe rastrear em aplicativos e sites pertencentes a outras empresas. Seus dados serão utilizados para exibir anúncios personalizados para você.”

Comparem o popup acima com a linguagem utilizada pela Maçã no painel dos seus próprios anúncios:

Painel de Anúncios da Apple nos Ajustes do iOS 14
“Desligar os anúncios personalizados limitará a capacidade da Apple de lhe mostrar propagandas relevantes. Isso não reduzirá o número de anúncios serão exibidos.”

Muito mais amigável, não? Segundo o analista Eric Seufert, a existência do painel especial para os Anúncios da Apple dá uma vantagem à Maçã no campo dos anúncios digitais, um mercado que movimenta quase US$80 bilhões por ano: “Agora, eles estão numa boa posição para ganhar market share no segmento de publicidade móvel.”

A reportagem da Forbes cita que as mudanças da Apple são positivas para a privacidade do usuário, porém extremamente prejudiciais ao bilionário mundo da publicidade móvel. Resta saber, agora, se essa diferenciação feita pela Maçã representará mais um problema jurídico para a empresa, já atolada em acusações de práticas monopolistas — vamos aguardar para ver.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…