Investimentos da Apple em P&D aumentaram — mas não o suficiente, segundo analista Só no último trimestre, foram investidos quase US$4,8 bilhões

Logo da Apple

Se você acompanha o MacMagazine há um certo tempo, então já deve ter visto nossa cobertura sobre os investimentos da Apple em pesquisa e desenvolvimento (P&D), ou seja, o quanto a companhia tem aplicado em projetos e estudos sobre tecnologias atuais e futuras — o que, talvez erroneamente, pessoas associam a “inovação”.

Publicidade

Digo “erroneamente” pois o fato é que a Apple nunca foi a empresa que mais investiu em P&D. Ainda assim ela apresentou, ao longo dos anos, gadgets cada vez mais inovadores e que caíram no gosto dos consumidores — como o iPod, o iPhone, o iPad, o Apple Watch e os AirPods.

Contudo, nem todos concordam com isso — como o analista Toni Sacconaghi, da firma de investimento Bernstein. Já há muito tempo, Sacconaghi afirma que a gigante de Cupertino poderia investir mais em P&D, considerando que a companhia tem um caixa mais robusto que os de outras empresas do setor.

De fato, durante o segundo trimestre deste ano, a Apple investiu quase US$4,8 bilhões em P&D, de acordo com registros do seu último demonstrativo financeiro [PDF]. Isso representa um aumento em relação ao montante aplicado no mesmo período do ano passado, que foi de US$4,2 bilhões — ainda assim, bem abaixo do que de muitas outras gigantes de tecnologia, como notado por Sacconaghi.

Publicidade

Em sua última nota de pesquisa, vista pelo Barron’s, o analista aponta que a Apple gastou apenas 2,2% da sua receita no período em P&D, ficando “dramaticamente abaixo de suas rivais”. Mais precisamente, a Microsoft gastou US$5,2 bilhões de abril a junho em P&D (cerca de 13,6% de sua receita total do período), enquanto a empresa controladora do Google, a Alphabet, investiu US$6,2 bilhões (cerca de 15,9% da receita).

A combinação de baixo gasto com P&D e baixo M&A1 sugere que a Apple ainda pode estar “subinvestindo” em inovação, em comparação às suas rivais. Continuamos a acreditar que é improvável a Apple fazer grandes aquisições. Será que o recente aumento nos gastos com P&D da Apple pressagia a inovação de novos produtos? Difícil de dizer. Por um lado, vemos potencial na magnitude dos gastos da Apple (US$60 bilhões nos últimos cinco anos) e o foco da empresa em novas categorias em potencial.

Por outro lado, o analista destaca que o orçamento de P&D da Apple no ano passado (cerca de US$16 bilhões) foi maior do que o gasto acumulado em P&D de 1999 a 2012, sugerindo um aumento desses investimentos sob a gestão de Tim Cook.

Quem rebate a opinião de Sacconaghi é o analista Horace Dediu, o qual disse que “para alguém que segue a Apple há tanto tempo, Toni [Sacconaghi] é excepcional em não entender como [os investimentos] funcionam”.

A Apple gastou dramaticamente menos do que suas rivais quando lançou os AirPods. Ainda menos no Apple Watch. Menos ainda quando lançou o iPad. Muito menos do que quando lançou o iPhone. Quase nada para o iPod. Praticamente zero no Mac e nada no Apple II.

A Apple, obviamente por questões internas, se recusou a comentar as notas dos analistas.

via Cult of Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…