Gamers de plantão já devem estar por dentro dessa história envolvendo o xCloud e a App Store, mas não custa recapitular aqui.

Publicidade

Por conta das (hoje antigas) regras da loja de apps da Maçã que limitavam muito as coisas, a Microsoft havia desistido de lançar sua plataforma de streaming de jogos no iOS.

A Apple até explicou por que o xCloud (e o Stadia, do Google) não poderiam ser lançados para o seu sistema móvel, mas logo depois mudou as regras da App Store para possibilitar isso. O problema é que as mudanças não agradaram muito — a própria Microsoft criticou-as bastante.

Mas é aquilo: ruim com ele, pior sem ele (no caso, o iOS). Em uma entrevista para a Bloomberg1, Phil Spencer (chefão do Xbox) disse que a empresa está tendo “discussões contínuas” sobre como melhorar essa situação.

Estamos empenhados em levar o xCloud para todos os terminais móveis, incluindo o grande ecossistema da Apple. Para os clientes que estão de fora — e eu vejo isso no Twitter o tempo todo, pessoas perguntando —, eles podem ter certeza de que chegaremos lá. Continuamos comprometidos.

Vale notar que o serviço xCloud foi lançado na semana passada para o Android. Veremos quando — e se — a Microsoft conseguirá contornar esses problemas impostos pelo cercado do ecossistema da Apple.

Microsoft compra a ZeniMax

Em uma nota relacionada, a Microsoft informou hoje que vai adquirir a empresa ZeniMax Media – e sua famosa desenvolvedora/publicadora de jogos, a Bethesda Softworks — por US$7,5 bilhões (a maior aquisição do mercado gamer já feita).

Jogos são a categoria mais expansiva na indústria do entretenimento, já que as pessoas em todos os lugares recorrem aos jogos para se conectar, socializar e jogar com seus amigos. Conteúdo diferenciado de qualidade é o motor por trás do crescimento e valor do Xbox Game Pass — de Minecraft a Flight Simulator. Como uma desenvolvedora e editora de jogos comprovada, a Bethesda obteve sucesso em todas as categorias de jogos e, juntos, promoveremos nossa ambição de capacitar mais de 3 bilhões de jogadores em todo o mundo.

Satya Nadella, CEO da Microsoft.

A Bethesda está por trás de jogos como The Elder Scrolls: Blades, DOOM, DOOM II e Fallout Shelter; a ZeniMax, com sede em Rockville (em Maryland), também possui vários outros estúdios espalhados pelo mundo, o que sem dúvida dará à Microsoft (e à divisão do Xbox) uma boa injeção de títulos — num momento em que a companhia lançará uma nova geração do seu console.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…