HomePod mini: as vantagens e desvantagens do modelo menor 1/3 do preço — e com direito a alguns recursos inéditos

Para encerrar nossa rodada de comparativos, vamos tirar um pouco nossas atenções dos smartphones e focar nos alto-falantes inteligentes: sim, é hora de colocarmos o HomePod mini frente-a-frente com seu irmão maior e mais velho.

Publicidade

Design

Para início de conversa, claro, os dois dispositivos são bem diferentes em termos de visual: enquanto o HomePod tem o já costumeiro design de novelo de lã, o HomePod mini é bem menor (não brinca!), com cerca de 8,4cm de altura (contra 14,2cm do irmão mais velho), e com um design mais esférico — bastante reminiscente de alguns dispositivos Amazon Echo, alguns dirão.

HomePod mini e HomePod

A diferença de peso também é algo que vale a pena mencionar: são 2,5 quilos do HomePod contra “apenas” 345 gramas do mini.

Apesar disso, há similaridades entre os dois produtos: ambos são revestidos pela mesma malha trançada, e ambos têm uma superfície sensível ao toque na parte superior — a do HomePod mini, inclusive, é maior que a do irmão mais velho, além de ser ligeiramente recuada em relação ao topo do aparelho.

Nenhum dos dois tem bateria interna, então eles precisam necessariamente viver ligados à tomada — se você estiver procurando uma caixinha de som Bluetooth que possa levar a todos os lugares, é melhor procurar outras opções. Enquanto que o HomePod conta com um cabo de energia fixo que se liga diretamente à tomada, a versão mini vem com o carregador de 20W da Apple na caixa — toma essa, iPhones!

Ambos têm opções branca e cinza espacial, vale notar.

Som

Ninguém fora dos porões de Cupertino ouviu o HomePod mini até agora, mas é seguro afirmar que o novo produto não terá a mesma experiência sonora do seu irmão maior. Apesar disso, a Apple afirma ter colocado uma boa dose de tecnologia nos alto-falantes do dispositivo, com capacidade de reproduzir áudio em 360º com um driver e dois radiadores passivos (contra um woofer e sete tweeters no HomePod tradicional).

Também falta ao HomePod mini um dos recursos de som mais importantes do seu irmão mais velho, o reconhecimento espacial — isto é, a capacidade de “ler” a configuração do cômodo para ajustar a reprodução sonora. Apesar disso, a Apple fala numa tecnologia de “áudio computacional” para ajustes sonoros em tempo real.

Apenas o HomePod maior conta com suporte a Dolby Atmos e a som surround 5.1 e 7.1. Por fim, o novo dispositivo conta com quatro microfones de longo alcance para interação dos usuários com a Siri (são seis, no HomePod maior).

Recursos

A diferença mais notável entre os dois aparelhos é que o HomePod mini traz o chip de banda ultralarga U1.

Aqui, sua função é tornar a conexão com o iPhone mais, digamos, “profunda”: ao aproximar o smartphone do dispositivo, um elemento de interface surge na tela e vai aumentando conforme a aproximação, enquanto o feedback háptico do smartphone dá a sensação que os dois aparelhos estão fisicamente ligados. Essa interface especial trará sugestões de conteúdo e controle rápido da reprodução atual.

O HomePod maior não pode fazer nada disso, já que não conta com o chip U1 — muito provavelmente, a tecnologia será adicionada num futuro upgrade do dispositivo. Por outro lado, o modo home theater para a Apple TV continuará exclusivo do modelo mais caro, por ele ser o único a suportar Dolby Atmos e som surround 5.1 e 7.1.

Publicidade

Já o recurso de interfone, que permitirá enviar mensagens de áudio a outros HomePods pela casa (e a iPhones, iPads, Watches e dispositivos CarPlay), chegará também ao HomePod maior.

Outros recursos, como configuração multiroom e a possibilidade de conectar dois HomePods num mesmo cômodo para uma configuração estéreo, também serão compartilhados pelos dois dispositivos — embora seja bom notar, como informou o The Loop, que não será possível emparelhar um HomePod com um HomePod mini nesse modo estéreo, por conta das diferenças sonoras entre ambos.

Os dois modelos servem também de hub para dispositivos inteligentes compatíveis com o protocolo HomeKit, da Apple.

Preço

Aqui, a outra diferença fundamental: nos Estados Unidos, o HomePod mini custa 1/3 do preço do seu irmão maior — US$100 contra US$300. Se isso será suficiente para atrair os consumidores à linha de alto-falantes inteligentes da Apple, não sabemos, mas certamente a receita está boa para que finalmente os consumidores deem alguma atenção a essa linha de produto.

Ainda não sabemos se o HomePod mini chegará ao Brasil ou qual seria o seu preço — afinal de contas, se o seu irmão maior nunca deu as caras por aqui mesmo dois anos após o lançamento, fica difícil traçar alguma previsão nesse sentido. Fato é que a Apple precisa tornar a Siri do alto-falante compatível com o nosso idioma antes de qualquer coisa.

Vamos aguardar.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…