O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Busca do Google em iPhone
BongkarnGraphic / Shutterstock.com

Google e Apple são “empresa única” em acordo de buscas, dizem EUA

A gigante de Mountain View sofreu o processo mais importante do segmento desde os anos 1990

Se você acompanhou as manchetes tecnológicas gerais do dia de hoje, certamente soube que o Google foi acusado formalmente pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos de práticas monopolistas e abusivas — o processo subsequente dessa determinação será o mais importante do setor desde que a Microsoft enfrentou algo similar nos anos 1990.

Publicidade

As notícias de hoje são a culminância de uma investigação de meses do governo dos EUA, e as coisas não pararão por aí: ainda precisaremos aguardar para saber se as outras gigantes tecnológicas, como a Apple, a Amazon e o Facebook, também sofrerão processos parecidos. Em relação ao Google, entretanto, já há participação da Maçã no imbróglio todo.

Explico: grande parte das acusações do DoJ1 em relação ao Google giram em torno do seu mecanismo de busca — e, mais precisamente, dos bilhões de dólares gastos pela empresa anualmente para que seu buscador seja posto como padrão em diversos navegadores e sistemas operacionais… incluindo o Safari no iOS/iPadOS e no macOS, naturalmente.

Segundo a Bloomberg2, os documentos liberados pela investigação indicam que, mais que isso, Google e Apple trabalharam juntas ao longo dos anos para que o buscador de Mountain View se mantivesse como padrão nos dispositivos da Maçã. Após uma reunião entre Tim Cook e o CEO3 da Alphabet, Sundar Pichai, um executivo de alto padrão da Maçã teria enviado um email afirmando que, na visão dele, a Apple e o Google “trabalhariam como se fossem uma empresa só” para concretizar os acordos continuamente.

O subcomitê responsável pela apuração revelou, também, que quase metade do tráfego de buscas do Google vem de produtos da Apple. Por isso, a gigante considera prioridade absoluta renovar anualmente seu acordo com a Maçã — perder esse tráfego geraria um alerta de “código vermelho” em Mountain View, com impactos profundos na sua receita anual.

Publicidade

Na estimativa do subcomitê, o Google tem investido entre US$8 e US$12 bilhões anuais para manter o seu buscador como padrão nos iPhones, iPads e Macs ao redor do mundo. A estimativa está dentro da mais recente que publicamos, em 2018, e representa cerca de 20% de toda a receita anual do setor de serviços da Apple — ou seja, estamos falando de um acordo importantíssimo para os dois lados, o que explica todo o papo da “empresa única”.

Tim Cook (CEO da Apple) e Sundar Pichai (CEO do Google)
Tim Cook e Sundar Pichai em reunião, em 2017

Por outro lado, claro, o DoJ não está nada satisfeito com isso. No processo movido contra o Google, o órgão afirmou que a empresa mantém práticas predatórias que inibem o crescimento de concorrentes na área por meio do seu poderio financeiro:

Ao pagar à Apple uma parte dos lucros do seu monopólio extraído de anunciantes, o Google alinhou os incentivos financeiros da Apple com os seus próprios e jogou nas alturas o preço dos lances para a distribuição [dos mecanismos de busca].

Vamos ver, agora, quais serão os resultados desse processo todo e se alguma consequência da investigação respingará sobre a Apple. Afinal, não é como se a Maçã, do seu lado, estivesse livre de preocupações

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Mockup do "Apple Glass"

Sony deverá fornecer telas para headsets de AR da Apple

Próximo Artigo
iPhones 12 Pro com a bandeira do Brasil (by MacMagazine)

iPhone 12 Pro Max poderá custar até R$14 mil no Brasil

Posts Relacionados