Apple quer incentivo fiscal para levar produção de chips aos EUA

Dinheiro

Estamos a poucos dias da eleição presidencial nos Estados Unidos, mas isso não impede empresas de continuarem fazendo lobbying a fim de ajudar a colocar seus planos em prática.

Publicidade

A Apple, vale notar, é uma das empresas do setor de tecnologia que menos investe em lobbying. No terceiro trimestre de 2020, por exemplo, ela desembolsou “apenas” US$1,56 milhão para esse fim, uma queda em relação ao mesmo período de 2019, quando investiu US$1,78 milhão.

Para termos uma ideia da discrepância se comparada a outras empresas, o Facebook investiu US$4,9 milhões, a Amazon US$4,41 milhões, o Google US$1,93 milhão, a Microsoft US$1,88 milhão e a Oracle, US$1,87 milhão — só para citar algumas. Se fizermos a relação investimento em lobbying vs. faturamento, então, aí a Apple investe infinitamente menos que essas companhias.

Pois bem. Parte desse US$1,56 milhão foi para tentar fazer com que o governo dos EUA dê incentivos fiscais para apoiar a produção doméstica de chips — indicando que a Apple está interessada em levar parte da sua cadeia de suprimentos para sua terra natal.

Publicidade

Os processadores da Apple têm se tornado cada vez mais importantes no cenário tecnológico, sendo utilizados em todos os produtos da Maçã (iPhones, iPads, Apple Watches, Apple TVs e HomePods). Os Macs, únicos que estão fora da jogada por ainda utilizarem chips da Intel, vão muito em breve passar a utilizar também os chips criados pela Apple.

Ainda que seja responsável pela criação dos chips, a fabricação é terceirizada, sob a responsabilidade da Taiwan Semiconductor Manufacturing Company. Muitos outros componentes também são criados pela Maçã e terceirizados para serem fabricados — a maioria deles, na China, o que acaba expondo a Maçã a taxas de importação e, consequentemente, à guerra comercial que ainda está acontecendo entre os EUA e a China. Até mesmo Taiwan (onde a TSMC opera) também se tornou um foco crescente de tensão geopolítica.

No início do ano, a TSMC afirmou que construiria uma fábrica de chips de US$12 bilhões no Arizona, e a empresa tem feito lobby junto aos funcionários de lá para conseguir incentivos fiscais. Atualmente, pensando em produtos em si, apenas o Mac Pro é fabricado nos EUA. Já em componentes, a Apple utiliza alguns de empresas terceiras que são criados e fabricados no país, como da Broadcom, da Texas Instruments e da Qualcomm.

via Bloomberg, iMore

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…