Grandes empresas dos Estados Unidos, incluindo a Apple, estariam supostamente fazendo lobby contra uma nova legislação que visa prevenir o trabalho forçado dos uigures na China. As informações são do The Washington Post1.

Publicidade

O projeto de lei, denominado “Lei de Prevenção do Trabalho Forçado Uigur” (“Uyghur Forced Labor Prevention Act”), impõe sanções às empresas que violarem os direitos humanos e impede a importação de produtos manufaturados na região de Xinjiang — a menos que as empresas possam garantir que eles não foram produzidos por meio de trabalho forçado. De acordo com estimativas, quase 1 milhão de uigures estariam sob essas condições em campos de detenção na China.

O The Washington Post não divulgou os nomes das empresas que estão fazendo lobby contra o projeto de lei. No entanto, uma reportagem do The Information indicava que a firma de lobby da Apple, a Fierce Government Relations, estaria tentando reverter a aprovação do texto em nome da gigante de Cupertino.

Outras empresas também estão usando suas influências para que seus nomes sejam removidos da legislação, incluindo Coca-Cola, Costco e Patagonia. De acordo com as informações, o projeto se concentra principalmente na manufatura têxtil e de tecnologia.

Publicidade

Um porta-voz da Apple disse ao Washington Post que a empresa se dedica “a garantir que todos em nossa cadeia de suprimentos sejam tratados com dignidade e respeito”, complementando ainda que “abominamos o trabalho forçado e apoiamos as metas da Lei de Prevenção ao Trabalho Forçado Uigur”.

Compartilhamos o objetivo do comitê de erradicar o trabalho forçado e fortalecendo a legislação dos Estados Unidos, e continuaremos trabalhando com eles para conseguir isso.

O projeto de lei segue em trâmite no senado americano e, se aprovado, deverá passar pelas mãos do presidente dos EUA nas próximas semanas.

via AppleInsider

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários