Direito ao reparo será lei na União Europeia As fabricantes deverão indicar o quão fácil (ou difícil) cada produto é de se reparar

Reparo de Mac

Ainda ontem, falamos aqui sobre um relatório deveras contundente, produzido por um comitê do Parlamento do Reino Unido, acusando a Apple e outras gigantes tecnológicas de favorecerem a cultura do descarte ao criarem produtos, nas palavras do documento, descartáveis e difíceis de se reparar. Pois essa é uma impressão que parece ser compartilhada em todo o Velho Mundo.

Publicidade

Como informou o Euronews, o Parlamento Europeu aprovou nesta semana uma série de orientações que poderão instituir o chamado direito ao reparo na lei europeia. A resolução foi aprovada pelo poder legislativo com 395 votos a favor e 94 contra, além de 207 abstenções.

Com as novas regras, a Comissão Europeia orientará os países do bloco a “desenvolver e introduzir etiquetas mandatórias” que deverão ser incluídas nas embalagens de produtos eletrônicos. Essas etiquetas informarão ao consumidor o tempo de vida estimado daquele dispositivo e um “índice de reparabilidade”, semelhante àquele que a iFixit já mede há muitos anos, indicando o quão fácil (ou não) é obter reparos para aquele produto — de fato, a França já adotará esse índice a partir de janeiro próximo.

A ideia é que as novas regras estimulem fabricantes a aplicar esforços na criação de produtos mais longevos e reparáveis — afinal de contas, como já acontece com o selo Procel ou o do Inmetro, no Brasil, ninguém (ou… quase ninguém) gostará de comprar um produto com durabilidade baixa ou dificílimo de se consertar.

Publicidade

Os ares já apontavam para a mudança: de acordo com uma pesquisa realizada recentemente pela União Europeia, 77% dos residentes do bloco preferem consertar dispositivos eletrônicos a trocá-los por novos. Além disso, 79% dos consumidores defendem que fabricantes sejam obrigadas por lei a facilitar o reparo desses aparelhos e o acesso a peças de reposição.

Agora, fica a expectativa para que outros países adotem medidas parecidas — o consumidor agradece, não é verdade?

via AppleInsider

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários