Você precisa ter um Apple Watch para usar o Fitness+ Ao mesmo tempo, a Apple quer que o serviço seja "o mais inclusivo possível"

Apple Fitness+

Já sabemos que o Apple Fitness+, plataforma de exercícios da Apple, fará sua estreia na próxima segunda-feira (14 de dezembro) em seis países (Austrália, Canadá, Estados Unidos, Irlanda, Nova Zelândia e Reino Unido). Já destrinchamos, também, todos os principais aspectos do serviço e o seu principal apelo, que é o acompanhamento do seu desempenho pelo Apple Watch enquanto você segue as instruções no seu iPhone/iPad/Apple TV.

Publicidade

Um detalhe, entretanto, pode ter passado despercebido pela maioria: a companhia do Apple Watch não é um complemento desejável, e sim uma exigência.

A informação foi “confirmada” por Jay Blahnik, diretor da área de bem-estar da Apple e um dos principais nomes por trás do Fitness+, em entrevista ao Wall Street Journal1. De acordo com o executivo, o grande diferencial da plataforma da Maçã perante a concorrência é, justamente, a integração com o Watch: as medições feitas pelo relógio em tempo real, durante os exercícios, são grandes elementos de motivação para os usuários.

As medições são motivadoras. Elas reagem às coisas que o treinador diz e às coisas que você faz. Nós acreditamos que isso torna [o Fitness+] muito mais imersivo do que simplesmente seguir um conteúdo que está disponível em outro lugar.

Na prática, isso significa que, para assinar o Fitness+ (caso ele esteja disponível na sua localidade, claro), o usuário precisa estar imerso com os dois pés no ecossistema da Apple: você precisa ter um Apple Watch; e, para ter um Apple Watch, você precisa ter um iPhone. Este é, digamos, o “pacote básico” se você quiser seguir os exercícios e os programas de atividade da Maçã.

Publicidade

Apesar desse “pequeno detalhe”, Blahnik afirmou que a ideia é que o Fitness+ seja o “mais inclusivo possível”:

Nós amamos a ideia de que o Fitness+ é integrado ao Apple Watch. É uma coisa realmente inclusiva. Nós colocamos a música no centro de tudo para motivar uma grande variedade de pessoas. Nós tornamos muito fácil a busca pelo seu próximo exercício, seja você um iniciante ou não, e permitimos que você use o serviço em todas as suas telas. Nós tratamos todas as áreas em que nos envolvemos como maratonas, e não corridas rápidas.

Ao menos em um ponto, o serviço da Apple é realmente versátil: você pode fazer seus exercícios basicamente em qualquer lugar, e a maioria deles não requer nenhum objeto extra — ou, no máximo, alguns pesos que você compra em qualquer loja de artigos esportivos. As atividades que requerem um equipamento específico, como uma esteira ou uma bicicleta ergométrica, podem ser utilizadas com aparelhos de qualquer marca ou tipo.

Blahnik lembrou, também, que apesar de ser um serviço especialmente valioso em um período de pandemia e isolamento social, o Fitness+ começou a ser projetado anos antes de sequer ouvirmos falar da COVID-19 — a ideia por trás da plataforma começou com o Apple Watch, quase como uma extensão natural das suas capacidades.

Publicidade

Pois bem, então: agora, vamos acompanhar as reações iniciais dos consumidores nos países de lançamento do serviço — e torcer para que, algum dia, a Apple lembre-se da existência do Brasil e de outros países que não falam inglês. 😜


Apple Watch Series 6

de Apple

Preço à vista: a partir de R$4.769,10
Preço parcelado: em até 12x de R$441,58
Tamanhos: 40mm ou 44mm
Materiais: alumínio, aço inoxidável ou titânio
Características: GPS ou GPS + Cellular
Cores: diversas
Lançamento: setembro de 2020

Botão - Comprar agora

via AppleInsider

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários