O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Mark Zuckerberg

Facebook: regras da App Store visam lucro, e não privacidade

A gigante das redes sociais reservou a semana para atacar a Apple

O Facebook está inspirado na sua cruzada contra a Apple nesta semana. A empresa já defendeu as novas propostas de legislações da União Europeia, esperando que elas “ponham limites” nas práticas ditas monopolistas da Maçã, e colocou anúncios de página inteira em alguns dos maiores dos jornais dos Estados Unidos para acusar a gigante de Cupertino de prejudicar pequenas empresas com as regras da App Store.

Publicidade

Pois agora, a gigante das redes sociais publicou em seu site um artigo expandindo sua defesa dos pequenos negócios, explicando por que — na sua visão — as diretrizes da App Store e as novas regras de privacidade do iOS 14 serão especialmente prejudiciais a essas empresas menores.

O argumento principal do Facebook é que as novas regras da Apple não são motivadas pela privacidade (como a Maçã tem defendido tão apaixonadamente nos últimos meses), e sim pelo lucro: segundo o artigo, as mudanças do iOS 14 forçarão as empresas a mudar suas estratégias de receita, abrindo mão dos anúncios e implementando, em seu lugar, assinaturas e compras internas — transações, claro, que terão parte do seu dinheiro coletado pela Apple.

Mais precisamente, Mark Zuckerberg e sua turma apontaram os quatro motivos principais pelos quais eles se opõem às diretrizes da Apple. Abaixo, traduzimos esses pontos livremente:

Publicidade
  1. Eles estão criando uma política — reforçada pelo App Tracking Transparency do iOS 14 — motivada pelo lucro, não pela privacidade. Ela forçará empresas a adotarem assinaturas e outras compras internas como formas de receita, e por consequência a Apple irá lucrar e muitos serviços gratuitos terão de mudar ou deixar o mercado.
  2. Eles estão prejudicando pequenos negócios e publicações que já estão sofrendo por conta da pandemia. Essas mudanças afetarão diretamente a capacidade dessas empresas de usar seus orçamentos de publicidade eficiente e efetivamente. Nossos estudos mostram que, sem anúncios personalizados baseados em seus dados, pequenos negócios poderão ver uma perda de até 60% em vendas na web motivadas por anúncios. Nós não esperamos que as mudanças propostas para o iOS 14 causarão uma perda total e imediata da personalização, mas uma tendência nessa direção a longo prazo.
  3. Eles não estão seguindo as próprias regras. A plataforma de anúncios personalizados da própria Apple não está sujeita às regras do iOS 14.
  4. Nós discordamos da abordagem da Apple, mas não temos escolha senão nos sujeitarmos às regras. Se não fizermos isso, poderemos sofrer retaliações da empresa, o que prejudicaria ainda mais os negócios que queremos apoiar. Não vamos assumir esse risco.

No texto que segue os motivos, o Facebook reforça a ideia de que as mudanças implementadas pela Apple foram concebidas sem uma consulta à indústria geral e que anunciantes/publicações não tiveram tempo suficiente para adaptação — ainda que, como vocês sabem, a Apple tenha adiado a implementação das novas regras em alguns meses.

O Facebook até cita o Programa para Pequenos Negócios da App Store, que reduzirá à metade a taxa cobrada de empresas que geraram no máximo US$1 milhão ao longo do ano anterior. A gigante, entretanto, não afirmou se a iniciativa da Apple é benéfica — anteriormente, outras empresas classificaram a atitude como uma forma de divergir as atenções do problema real.

O fato é que… bom, a briga está no ar. Vamos ver se a Apple responderá de alguma forma ou seguirá com seus planos da forma como eles atualmente estão postos.

via The Loop

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
ECG

Apple receberá aprovação da Anvisa para “novo” ECG em breve

Próximo Artigo
Apps redesenhados no macOS Big Sur

macOS Big Sur 11.2 ganha sua primeira versão de testes

Posts Relacionados