O Facebook tirou a semana para atacar a Apple.

Publicidade

Como falamos, a rede social estampou um anúncio em diversos jornais americanos basicamente dizendo que as regras anti-rastreamento da Apple são maléficas para a indústria, se colocando como defensora das pequenas empresas nessa luta contra a Maçã.

Depois, em um artigo mais aprofundado, disse basicamente que as regras estipuladas pela Apple para a App Store visam apenas o lucro e não a privacidade das pessoas.

Pois a companhia liderada por Tim Cook respondeu tal ofensiva. Eis a declaração que ela enviou para diversos veículos:

Publicidade

Acreditamos que se trata de uma simples questão de defender nossos usuários. Os usuários devem saber quando seus dados estão sendo coletados e compartilhados em outros aplicativos e sites — e devem ter a opção de permitir isso ou não. A transparência de rastreamento de aplicativos no iOS 14 não exige que o Facebook mude sua abordagem para rastrear usuários e criar publicidade direcionada, apenas exige que eles deem aos usuários uma escolha.

Simples e direto, não? De fato, como estamos acompanhando nessa história toda, tudo o que a Apple está fazendo é, a meu ver, dar opção a usuários. A única reclamação que me parecia justa, no caso, era a de que o texto dos alertas para apps de terceiros soava mais alarmista do que os que a Maçã mostra para a sua própria publicidade (em Ajustes » Privacidade » Publicidade da Apple).

Alerta de rastreamento no iOS 14

Em relação a isso, a Apple informou que desenvolvedores como o Facebook poderão editar uma seção do texto que aparece no alerta, a fim de explicar por que usuários devem permitir o rastreamento — ela até criou a imagem acima para visualizarmos como seria isso. Tal alerta aparecerá quando apps forem abertos pela primeira vez após a implementação do recurso — tanto para novos apps baixados quanto para os aplicativos que usuários já possuem instalados em seus iPhones.

Em Ajustes » Privacidade, usuários poderão entrar numa seção de rastreamento e visualizar quais aplicativos solicitaram permissão para fazer esse monitoramento para fins publicitários, podendo fazer as alterações que forem necessárias.

Publicidade

Caso um app viole as regras da App Store em relação a essa mudança, terá a chance de resolver o problema. Do contrário, o aplicativo será removido da App Store. A Apple informou que essa mudança está para ser implementada há anos e que será aplicada igualmente para todos os desenvolvedores, incluindo para si própria.

Mais ataques vindo do Facebook

Essa história está longe de terminar e a prova disso é que o Facebook está planejando um segundo anúncio atacando a Apple, desta vez alegando que ela quer “destruir a internet gratuita”.

A essência do argumento, de acordo com John Paczkowski (do BuzzFeed), é que sites e desenvolvedores serão forçados a cobrar pelo conteúdo se sua capacidade de veicular anúncios personalizados for prejudicada.

via AppleInsider, 9to5Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários