O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Linha de produtos Apple cobertos pelo AppleCare+

Como adicionar o AppleCare+ ao iPhone do Brasil (ou de Portugal)

Em nosso último vídeo de Q&A no YouTube, selecionamos para o título dele a seguinte pergunta: “O AppleCare+ vale a pena?”

Publicidade

Não surpreendentemente, muitos leitores nos questionaram como adicionar o AppleCare+ ao iPhone estando no Brasil ou em Portugal. Em paralelo, já estávamos trabalhando para lhes trazer uma nova dica bacana sobre isso aqui pro site. 😉

Mas vamos lá, por partes.

O que é o AppleCare+?

O AppleCare+ é o plano de garantia estendida mais recente da Apple, uma evolução do antigo AppleCare Protection Plan (que ainda é vendido no Brasil). A grande diferença é que, além de estender o prazo de garantia do produto, ele também tem cobertura contra danos acidentais2 trocas a cada 12 meses, para ser mais preciso.

Caso você deixe o iPhone cair no chão e a tela rache, por exemplo, só precisa pagar US$29 nos Estados Unidos para trocá-la; se o dano for maior (por exemplo, se a parte traseira quebrar também), o custo é de US$99.

Publicidade

Se não tiver o AppleCare+, a Apple cobra valores de conserto de acordo com o modelo. No caso de um iPhone 8, por exemplo, são US$349; um iPhone XR, US$399; um iPhone 12, US$449; e um iPhone 12 Pro Max, só para citar mais um, US$599. Diferença significativa, né?

Outra coisa bacana coberta pelo AppleCare+ são as baterias de iPhones, iPads, Apple Watches e MacBooks. Se ela ficar abaixo de 80% da sua capacidade original antes do número de ciclos previsto, você tem direito a troca gratuita.

AppleCare+ no Brasil e em Portugal

Até hoje, ao contrário do que esperávamos desde 2015, o AppleCare+ não é comercializado no Brasil — e nem em Portugal.

Apesar disso, a boa notícia é que ele é perfeitamente aceito/coberto em ambos os países, e o melhor de tudo é que as taxas de serviço não se aplicam. Ou seja, se você danificar o seu iPhone, a troca é 100% gratuita.

Publicidade

Desde 2019, o AppleCare+ é inclusive aceito em Centros de Serviço Autorizados Apple — novamente, tanto no Brasil quanto em Portugal —, também sem cobrança de taxas.

Prazo de aquisição

Como o AppleCare+ conta com proteção contra acidentes, você não pode adicioná-lo ao seu produto a qualquer momento. Quer dizer, hoje em dia até pode, mas tem um porém.

O prazo padrão de aquisição do AppleCare+ é de 60 dias corridos após a data original de compra do seu iPhone, iPad, Apple Watch, etc. Dentro desse período, todo o processo pode ser feito online de forma bem rápida e simples — que mostraremos a seguir.

Publicidade

Recentemente, porém, a Apple alterou o prazo de aquisição do AppleCare+ para um ano. O detalhe é que, após os 60 dias padrões, só é possível incluir o plano no produto após uma inspeção física — ou seja, nesse caso não rola comprá-lo online.

Como comprar o AppleCare+?

Posto tudo isso, eis o grande porém de adquirir o AppleCare+ pelo site americano da Maçã: ela não tem aceito nenhum cartão de crédito internacional, o que dificulta bastante o processo.

Na última vez em que publicamos um tutorial sobre isso aqui no site, há quase três anos, ainda era possível usar o Nubank na modalidade parcelada, e alguns leitores também conseguiram usar cartões American Express ou Mastercard alterando a sua data de vencimento.

O que mudou, de lá para cá, é que surgiram várias fintechs que hoje em dia oferecem cartões de débito/crédito virtuais em dólar — e esse é o grande “pulo do gato”, pois é como se você tivesse, de fato, uma conta num banco americano.

Para o exemplo a seguir, usamos um cartão da Nomad — embora no Brasil haja outros exemplos como C6 Bank e Banco BS2, recebemos relatos de leitores de que eles infelizmente não funcionam para este propósito. Em Portugal temos o N26 e o Revolut, mas aparentemente eles também não rolam por algum motivo qualquer.

Antes de iniciar o processo, portanto, transferimos o saldo necessário para o cartão — no meu caso, foram US$199 do AppleCare+ para um iPhone 12 Pro Max + 7% de taxa local, totalizando US$212,93.

Assim que o saldo ficou disponível na Nomad, iniciei o processo.

Adicionando o AppleCare+ a um iPhone

Para este tutorial, vamos realizar o processo diretamente pelo iPhone. Antes de mais nada, então, baixe e instale o app Suporte da Apple:


Ícone do app Suporte da Apple
Suporte da Apple de Apple
Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 4.4 (39.3 MB)
Requer o iOS 14.0 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App Store Código QR Código QR

Com ele aberto, escolha o iPhone no qual você adicionará o AppleCare+ na lista “Meus Dispositivos” e, depois, toque no seu avatar no canto superior direito da tela.

Altere, então, a região para os Estados Unidos.

Quando você tocar em “OK” e voltar à tela de informações do seu iPhone, automaticamente já deverá aparecer embaixo dele um botão para você “Adicionar cobertura do AppleCare”, com um indicativo da data até quando isso pode ser feito.

Tocando nessa área, ele abre uma tela com uma breve apresentação do AppleCare+ (vejam que está tudo em português, ou seja, realmente não falta muito para ele ser lançado no Brasil e/ou em Portugal) e, ao tocar em “Continuar”, você é então levado à tela de seleção do plano desejado.

Aqui, uma observação importante. Abaixo do AppleCare+ convencional, de US$199 no caso do iPhone 12 Pro Max, há também uma opção “AppleCare+ with Theft and Loss”, de US$269. Esse é um plano especial que inclui proteção contra roubo e perda de iPhones, lançado em 2018, porém isso só é coberto de fato nos EUA. Ou seja, *não* escolha esse plano.

O passo seguinte é a realização de um diagnóstico remoto e automático no seu iPhone. Digite o email do seu ID Apple e toque em “Submit”.

Você receberá imediatamente um email com um botão azul “iOS Diagnostics”, que deve ser aberto pelo Safari no iPhone.

O processo de diagnóstico leva poucos minutos.

Ao finalizar a verificação, retorne para o app Suporte da Apple e toque em “Checkout” para prosseguir ao pagamento do AppleCare+.

Aqui, você terá a opção de pagar o valor completo à vista (“Pay in Full”), que é o que eu fiz, ou então pagar mensalmente (“Pay Monthly”). No meu caso esta última opção estava desabilitada, porque eu não cadastrei o cartão da Nomad na minha conta (só usei ele para esse pagamento) e a Apple só habilita a opção para cartões americanos.

Obviamente, pensando numa proteção de dois anos, os US$199 da modalidade à vista ficam mais em conta do que 24 vezes de US$9,99 (US$239,76), porém o pagamento mensal é mais “diluído” e depois você tem a opção de estender o plano para além de dois anos se quiser.

Mas enfim, prosseguindo na opção “Pay in Full”, é aí que você terá então que digitar os dados do seu cartão e também um endereço local americano. Para esse exemplo, eu usei o endereço de um hotel qualquer em Miami — você pode usar o mesmo que aparece na screenshot acima, se quiser. Vejam que ele já faz o cálculo do imposto local, que nesse caso é de 7%.

Aliás, depois que publicamos este tutorial, leitores nos contaram que optaram por usar o endereço de um hotel em Delaware — onde não há cobrança nenhuma de imposto. É uma boa dica, também. 😉

E pronto, aí é só tocar em “Complete Your Order” para finalizar o processo.

A partir daí, seu iPhone já estará imediatamente coberto pelo AppleCare+. Uma confirmação definitiva junto à “Prova de Cobertura” chegarão ao seu email em 24-48 horas, mas veja que o app já mostra uma nova data de vencimento para daqui a dois anos.


Obviamente, o processo todo é similar caso você queira adicionar o AppleCare+ a um iPad, Apple Watch, Mac, AirPods, HomePod, etc. — e pode ser feito pelo site da Apple no computador também, contanto que você esteja na versão americana dele.

Outra coisa bacana que vale mencionarmos aqui é que você pode, se quiser, transferir o seu plano do AppleCare+ de um dispositivo para o outro se ele ainda estiver no prazo de vigência.

Quem me acompanha nos vídeos do YouTube e no podcast sabe o quanto eu valorizo o AppleCare+. É graças a ele, por exemplo, que há bastante tempo tenho usado meu iPhone sem capa nem película. Se cair e quebrar, estou devidamente protegido. 😉

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Trabalhadores da Foxconn na China

Parceira da Apple é acusada de usar trabalho forçado na China

Próximo Artigo
Smartphone com Google Play e App Store

App Store e Google Play geraram US$407 milhões só no Natal

Posts Relacionados