O que é e como funciona o Apple Pencil

Apple Pencil

O Apple Pencil foi lançado juntamente à primeira geração do iPad Pro, em 2015. A proposta da Apple foi de lançar uma nova forma de interação com o seu tablet, indo além dos toques na tela.

Publicidade

Com o acessório, usuários de aplicativos de desenho e escrita, por exemplo, podem contar com uma maior precisão em seus trabalhos.

Sensores

Basicamente, na ponta do Apple Pencil estão sensores capazes de detectar com precisão os movimentos do lápis na tela do iPad, com reconhecimento de pressão e inclinação. Por exemplo: caso você queira desenhar uma linha mais grossa, basta aplicar mais força no Pencil sob a tela do iPad; já para desenhar uma área com sombreado, basta inclinar o lápis na tela e desenhar de forma mais leve.

Latência

Em conjunto aos sensores presentes no acessório, a tela do iPad também e capaz de detectar quando o usuário está usando o Apple Pencil. Nas palavras da própria empresa (no lançamento do acessório):

O iPad Pro sabe se você está usando o dedo ou o Apple Pencil. Quando ele reconhece o Apple Pencil, o subsistema faz a leitura do sinal a impressionantes 240 vezes por segundo, o dobro de informações em relação ao dedo. Esses dados, junto ao software criado pela Apple, geram um intervalo de alguns milissegundos entre a imagem que você imaginou e a que aparece na tela.

Esse intervalo entre o momento da escrita na tela e seu reconhecimento pelo iPad é chamado de latência. Até o iPadOS iOS 12, a latência do Apple Pencil era de 20 milissegundos; a partir do iPadOS 13, a Apple conseguiu diminui-la para 9ms, uma das menores do mercado — comparativamente, a Surface Pen, lançada pela Microsoft em 2017, tem 21ms de latência.

Em 2017, o acessório passou a ter uma latência menor graças à tecnologia ProMotion, introduzida nos iPads Pro de 10,5″ e 12,9″ (segunda geração). Com uma taxa de atualização maior na tela, o lápis consegue também tirar proveito da tela mais fluida dos dispositivos.

Compatibilidade

Nova linha de iPads Pro, iPad Air, iPad e iPad mini
A segunda geração do Pencil (nos iPads Pro à esquerda); a primeira geração do lápis, nos iPads Air e mini

De 2015 para cá, o Apple Pencil foi aos poucos deixando de ser exclusivo da linha profissional de iPads e passou a funcionar também nos iPads “normais”, como o Air e o mini.

Duas gerações de lápis

Em 2018, ele ganhou uma segunda versão, trazendo recursos aprimorados. Enquanto que o lápis de primeira geração precisava ser conectado diretamente ao iPad (ou por meio de um adaptador) para recarregar sua bateria, a segunda geração trouxe o carregamento por indução pela lateral do iPad, facilitando seu transporte e processo de recarga. Além disso, ele trouxe um sensor lateral capaz de detectar toques do usuário, possibilitando a alternância entre ferramentas com simples toques.

Tendo isso em mente, é importante ficar atento na hora de adquirir o Apple Pencil para saber sobre sua compatibilidade com cada iPad. Vamos a eles:

Publicidade
  • Apple Pencil (primeira geração): iPads Pro de 9,7″, de 10,5″ e de 12,9″ (primeira e segunda gerações); iPad mini (quinta geração); iPad Air (terceira geração); iPad (sexta, sétima e oitava gerações)
  • Apple Pencil (segunda geração): iPads Pro de 11″ (primeira e segunda gerações) e de 12,9″ (terceira e quarta gerações); e iPad Air (quarta geração)

Atualmente, a primeira geração do Apple Pencil está saindo por R$1.200 no Brasil, enquanto que a segunda geração custa R$1.600.

Emparelhando e recarregando o Apple Pencil

Para emparelhar o Apple Pencil de primeira geração, remova a tampa localizada na ponta e encaixe ele diretamente na porta Lightning do iPad. Você deverá receber um aviso de emparelhamento na tela do dispositivo. Toque, então, no botão “Emparelhar” — o lápis seguirá emparelhado com o iPad, a menos que você reinicie ele, ative o Modo Avião ou use com outro iPad.

Para emparelhar o Apple Pencil de segunda geração, basta repousar o lápis no conector magnético localizado no lado esquerdo (ou em cima, a depender de como ele está posicionado) do iPad até que os imãs segurem ele.

Publicidade

Obviamente, para recarregar o lápis, no caso da primeira geração você precisa deixá-lo conectado ao iPad pela porta Lightning, enquanto o de segunda geração é recarregado magneticamente, enquanto está preso à lateral do tablet.

Apps famosos compatíveis com o lápis

Com a popularização do Apple Pencil, vários apps se tornaram compatíveis com ele. Além do Notas, que já vem incluído no sistema, temos por exemplo o Procreate (aplicativo de criação com centenas de pincéis disponíveis), o GoodNotes 5 e o Notability (que transformam o iPad em uma espécie de caderno digital).


Ícone do app Procreate

Procreate

de Savage Interactive Pty Ltd

Compatível com iPads
Versão 5.1.5 (326.1 MB)
Requer o iPadOS 13.2 ou superior

R$ 54,90

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR


Ícone do app GoodNotes 5

GoodNotes 5

de Time Base Technology Limited

Compatível com MacsCompatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 5.6.34 (303.6 MB)
Requer o iOS 12.0 ou superior

R$ 44,90

Badge - Baixar na Mac App Store

Código QR Código QR


Ícone do app Notability

Notability

de Ginger Labs

Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 10.2.2 (330.6 MB)
Requer o iOS 12.0 ou superior

R$ 49,90

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

·   •   ·

Bacana, não?! Você costuma usar o Pencil para trabalhos artísticos ou de escrita? 😉


Apple Pencil (2ª geração)

Apple Pencil (2ª geração)

de Apple

Preço à vista: R$1.439,10
Preço parcelado: em até 12x de R$133,25
Lançamento: outubro de 2018

Botão - Comprar agora


Apple Pencil

Apple Pencil (1ª geração)

de Apple

Preço à vista: R$809,10
Preço parcelado: em até 12x de R$74,92
Lançamento: setembro de 2015

Botão - Comprar agora

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão por cada venda concluída por meio dos links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários