O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Bônus de executivos da Apple dependerão de ações sociais e ambientais

As novas regras valerão a partir deste ano
Tim Cook com funcionários no Japão

Ontem, falamos aqui do pagamento de US$14,7 milhões recebido por Tim Cook em 2020 como seus serviços na cadeira de CEO da Apple — e, no mesmo post, mostramos também as cifras recebidas por alguns dos principais executivos e membros do conselho da empresa. Esse dinheiro é composto pelo salário em si (quando aplicável) e vários tipos de bônus, como incentivos e prêmios em ações baseados em metas de desempenho.

Publicidade

Pois a partir deste ano, esses bônus passarão a ter um fator crucial no seu cálculo: as iniciativas sociais e ambientais empreendidas pelos executivos da empresa. A informação foi incluída em um documento registrado pela Apple na Comissão Federal de Comunicações dos EUA (Federal Communications Commission, ou FCC), e os acionistas da companhia já foram avisados da mudança.

A declaração da Maçã diz o seguinte:

A partir de 2021, um modificador ambiental, social e administrativo, baseado nos valores da Apple e em outras iniciativas comunitárias importantes, será incorporado no nosso programa de incentivo financeiro anual.

São seis os tais valores da Apple citados na declaração: educação, meio ambiente, inclusão e diversidade, privacidade e segurança, acessibilidade e responsabilidade com fornecedores. Em outras palavras, a partir deste ano, os executivos da empresa terão de se empenhar — mais do que antes — para implementar iniciativas que fomentem esses valores, ou seus bônus de final de ano poderão sofrer cortes.

Publicidade

A Apple não informou como fará a medição desses modificadores, mas haverá um “comitê de compensação” dedicado a analisar a performance dos executivos nos temas em questão. Dependendo das conclusões, o comitê poderá aumentar ou diminuir o bônus pago a um executivo em até 10%.

De qualquer forma, a novidade poderá ser um bom incentivo para que as principais cabeças de Cupertino coloquem ainda mais foco em assuntos importantes para a imagem (e para o futuro) da empresa, como as relações polêmicas com fornecedores na China e o compromisso de neutralizar as emissões de carbono das suas operações até 2030.

Vamos ver, portanto, os resultados práticos da iniciativa.

via Cult of Mac

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Serviços da Apple

Clientes gastaram US$540 milhões na App Store no Ano Novo

Próximo Artigo

Como assinar o Apple Fitness+ estando no Brasil (em dólar)

Posts Relacionados