O que é e como funciona a tela ProMotion dos iPads Pro?

Pessoa desenhando num novo iPad Pro com o Apple Pencil

Antes mesmo da febre das telas com alta taxa de atualização nos smartphones, a Apple levou o recurso aos iPads Pro, lá em 2017. Batizada pela empresa de ProMotion, a tecnologia está presente apenas na linha profissional de tablets da Maçã.

Publicidade

Há anos, porém, espera-se de que a Apple leve essa mesma função aos iPhones, principalmente porque seus concorrentes já contam com o recurso. Mas, afinal de contas: você sabe como funciona essa tecnologia? Nos próximos parágrafos, explicarei melhor.

ProMotion no iPad Pro
iPad Pro de 2017, o primeiro com a tecnologia ProMotion

Primeiro de tudo, é importante ter em mente que todas as telas de dispositivos possuem uma taxa de atualização (refresh rate), e que a frequência dessa atualização pode ser menor ou maior.

Por padrão, as telas mais comuns operam a 60Hz. Ou seja, elas são atualizadas 60 vezes a cada segundo. No caso das telas ProMotion dos iPads, elas são atualizadas 2x mais rápido, ou seja, 120 vezes por segundo (o que dá 120Hz).

Publicidade

Quanto maior for o número de atualizações por segundo, mais fluída e rápida será a resposta da tela do dispositivo. No caso de smartphones, vários concorrentes do iPhone já possuem telas com alta taxa de atualização (como alguns da Samsung, da ASUS e da Xiaomi) — alguns deles, focados em jogos, podem chegar a até 144Hz.

Engana-se, porém, quem pensa que as telas com altas taxas de atualização são exclusivas de smartphones e tablets. Na verdade, elas são mais comumente usadas em monitores voltados a games, nos quais a jogabilidade pode ser extremamente beneficiada por essa função.

No caso dos iPads Pro, a Apple conseguiu também, com a ajuda da tecnologia ProMotion, diminuir a latência de seu lápis, o Apple Pencil. Isso ocorre pois, nas telas com taxa de atualização mais alta, os quadros por segundo não estão totalmente sincronizados com ela — como essa atualização no display do iPad com ProMotion ocorre 240 vezes por segundo (240Hz), o delay entre um e outro cai pela metade.

Publicidade

Apesar dos benefícios, essas telas podem acabar consumindo muita energia mesmo se o usuário estiver realizando tarefas que não se beneficiam diretamente da taxa de atualização mais rápida, como a leitura de um texto, por exemplo — afinal, pouco importa a taxa se o conteúdo está estático na tela.

Por isso, as fabricantes (incluindo a Apple) tendem a incluir um recurso o qual permite que o sistema ajuste automaticamente essa taxa de atualização da tela de acordo com o conteúdo apresentado, impedindo um consumo de bateria desnecessário — a depender do conteúdo, por exemplo, os displays dos iPads Pro podem ser atualizados apenas 24 ou 48 vezes por segundo (24Hz e 48Hz).

Mais fluidez nas animações, uma melhor resposta ao toque e diminuição da latência no uso do Apple Pencil são apenas alguns dos cenários que as telas com altas taxas de atualização se beneficiam. Espera-se que, com o tempo, a Maçã leve finalmente o recurso aos iPhones (ao menos para a linha Pro) — e, quem sabe, aos MacBooks.

Publicidade

O que nos resta é esperar para ver…


iPads Pro de 11″ e 12,9″

de Apple

Preço à vista: a partir de R$7.649,10
Preço parcelado: em até 12x de R$708,25
Cores: cinza espacial ou prateado
Capacidades: 128GB, 256GB, 512GB ou 1TB
Lançamento: março de 2020

Botão - Comprar agora

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão por cada venda concluída por meio dos links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

via iMore, Phone Arena

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários