O melhor pedaço da Maçã.

Apple teve melhor trimestre na Índia e amplia produção no país

Ritesh Ranjan Sett / Shutterstock.com
iPhone "Made in India"

A Apple divulgará oficialmente os resultados financeiros do seu primeiro trimestre fiscal de 2021 hoje à noite, mas as empresas de pesquisa Counterpoint e CyberMedia saíram na frente e divulgaram suas análises sobre o desempenho da companhia — com foco na Índia.

Publicidade

Por muito tempo, a situação da Apple na Índia era “constrangedora” em relação às de outras fabricantes — por vezes tendo a Maçã ficado com 1% do mercado. No entanto, após muitos esforços e investimentos, a Apple finalmente conseguiu virar a mesa e melhorar sua participação no país.

De acordo com os dados divulgados pelas firmas, a Apple vendeu mais de 1,5 milhão de iPhones na Índia no último trimestre, o que representa um aumento de 100% em relação ao mesmo período de 2019 — tornando esse o melhor trimestre da empresa no país até agora. As informações são do TechCrunch.

A Apple conseguiu dobrar sua participação de mercado (de 2% para 4%) graças à melhora nas vendas dos iPhones XR, 11, SE e 12. No geral, a Apple vendeu mais de 3,2 milhões de ‌iPhones‌ na Índia em 2020, um aumento anual de 60%.

Publicidade

Mesmo assim, os produtos da Apple ainda são consideravelmente mais caros do que seus concorrentes na Índia. Como apontado nas pesquisas, o preço inicial (convertido) do iPhone 12 Pro Max é de US$1.781 por lá, enquanto o mesmo modelo custa US$1.099 nos Estados Unidos.

Produção expandindo

Considerando o cenário exponencialmente positivo na Índia e os traumas causados pela guerra comercial (em curso) entre EUA e China, a Apple quer investir ainda mais na manufatura indiana, de acordo com o Nikkei.

Segundo a matéria, a Apple está aumentando a produção do iPhone na Índia, com planos de começar a produzir todos os modelos dos iPhones 12 já neste trimestre.

Publicidade

A Maçã também está em vias de aumentar a produção de iPad no Vietnã neste ano, marcando a primeira vez que a maior fabricante de tablets do mundo construirá um número significativo de dispositivos fora da China.

A Apple e muitas outras empresas de tecnologia querem aumentar a capacidade de produção fora da China, embora os EUA tenham um novo presidente. A Apple, por exemplo, visa expandir sua capacidade [de produção] em novos locais — principalmente nações do sudeste asiático — para vários produtos essenciais, como iPhones, iPads, MacBooks, AirPods e outros. Foi difícil imaginar isso há dois anos, mas agora, nada é impossível de mudar.

A China, que possui a cadeia de suprimentos mais sofisticada e abrangente do mundo, continua sendo um centro de manufatura fundamental para a Apple, mas a decisão da empresa de mover uma gama tão ampla de produtos para fora do país indica que a dissociação com o país deverá continuar em 2021.


Comprar iPhone SE de Apple Preço à vista: a partir de R$3.869,10
Preço parcelado: a partir de R$4.299,00 em até 12x
Cores: meia-noite, estelar ou (PRODUCT)RED
Capacidades: 64GB, 128GB ou 256GB

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão sobre vendas concluídas por meio de links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Compartilhe este artigo
URL compartilhável
Post Ant.

Designer lança pacote de wallpapers baseado no OS X Tiger

Próx. Post

Vídeo: use dois AirPods no mesmo iPhone, iPad ou Apple TV

Posts Relacionados