O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

App Store
IB Photography / Shutterstock.com

Informações de privacidade da App Store são enganosas em metade dos casos apurados

As informações são autodeclaradas e não verificadas pela Apple

Já falamos aqui bastante sobre os “informações nutricionais” da App Store, os quadrinhos exibidos nas páginas dos aplicativos da loja resumindo, de forma mais simples e palatável, os tipos de dados capturados por aquele app em questão (e, tão importante quanto, a forma como eles são capturados).

Publicidade

Sabemos que a novidade causou polêmica entre desenvolvedores — a ponto de o Google, inclusive, segurar as atualizações dos seus apps por algumas semanas para evitar, ao menos por um tempo, a revelação dos dados coletados por eles. Também já falamos sobre a preocupação de que os dados de privacidade talvez não sejam tão confiáveis assim, especialmente pelo fato de que eles são auto-declarados e não têm nenhum tipo de verificação por parte da Apple.

Pois, em uma reportagem publicada hoje, o Washington Post resolveu colocar essa suspeita à prova. Tudo começou quando o jornalista Geoffrey A. Fowler baixou um aplicativo para desestressar, o Satisfying Slime Simulator — que, segundo a sua página na App Store, não coleta nenhum tipo de informação do usuário.

A informação, entretanto, é falsa: a equipe do jornal averiguou que o app compartilha dados dos usuários (incluindo dados de rastreamento) com empresas como o Facebook e o Google. Até o momento, a página do aplicativo na App Store continua inalterada, com os “dados nutricionais” enganosos.

Publicidade

Fowler verificou, então, mais duas dúzias de apps para checar se as suas informações batiam com a coleta real de dados. O resultado? Metade deles capturava mais informações do que o atestado nas informações divulgadas — incluindo o jogo Match 3D, a rede social Rumble e até mesmo o aplicativo infantil PBS Kids Video. A reportagem entrou em contato com os desenvolvedores e alguns deles já atualizaram as informações nas páginas da App Store.

Ainda assim, a situação não é a ideal para a Apple. A empresa até se isenta da responsabilidade (ao abrir os detalhes dos “dados nutricionais”, há um aviso afirmando que aquelas informações não foram verificadas pela Apple), mas se desenvolvedores continuarem mentindo sobre os dados coletados por seus aplicativos, os quadrinhos de privacidade da App Store passarão a ser vistos com desconfiança — e perderão, portanto, todo o seu propósito.

Sobre a questão, a Apple afirmou o seguinte:

Publicidade

A Apple realiza auditorias de rotina contínuas sobre as informações oferecidas e nós trabalhamos com os desenvolvedores para corrigir quaisquer imprecisões. Aplicativos que não detalhem informações de privacidade corretamente poderão ter atualizações futuras rejeitadas ou, em alguns casos, ser removidos da App Store como um todo se não obedecerem às regras.

O fato é que, até o momento, essas auditorias parecem não estar sendo suficientes. Difícil dizer o que poderá melhorar a situação, mas certamente a Apple tem recursos, inteligência e equipe para verificar de forma mais precisa as informações que estão sendo oferecidas pelos desenvolvedores. Vejamos os próximos passos dessa história, portanto.

via 9to5Mac

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Câmera do iPhone 12 Pro Max

Patente da Apple cobre lente periscópio com zoom avançado

Próximo Artigo
Novo MacBook Pro de 13 polegadas com chip Apple M1 de frente com a tampa abrindo

Oferta: MacBook Pro (M1) com 27% de desconto!

Posts Relacionados