O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Pagando com o Apple Watch (Apple Pay)
Foto de Karolina Grabowska no Pexels

Apple Pay e outros superaram pagamento em dinheiro em 2020

A pandemia acelerou bastante a morte do dinheiro físico, pelo visto

Em todas as oportunidades que teve, a Maçã se gabou do desempenho fenomenal do Apple Pay ao longo de 2020 — estimulado, principalmente, pela pandemia do novo Coronavírus (COVID-19) e da consequente busca dos usuários por formas de pagamento sem contato.

Publicidade

Pois hoje, confirmou-se o que todo mundo já esperava: o sistema da Maçã, junto a seus concorrentes, enfim superou o pagamento em dinheiro nas transações realizadas em lojas físicas ao redor do mundo ao longo de 2020.

De acordo com o chefe de soluções mercantis da FIS, Jim Johnson, a popularidade do pagamento em espécie em lojas físicas caiu 10% ao redor do mundo durante o ano passado. Nas estatísticas mais recentes, o pagamento em dinheiro corresponde a apenas um quinto de todas as transações realizadas presencialmente.

A queda, claro, foi mais acentuada em determinados locais: países como o Reino Unido, o Canadá, a França e a Austrália viram o índice de pagamentos em dinheiro cair em mais de 50% nas lojas físicas. Nos Estados Unidos, especificamente, o pagamento em dinheiro correspondeu a cerca de US$1 trilhão nas transações feitas presencialmente — uma queda considerável em relação ao US$1,4 trilhão de 2019.

Publicidade

Falando sobre os sistemas de pagamento digitais, como o Apple Pay (e concorrentes como o Samsung Pay, o Google Pay e o WeChat Pay), a região da Ásia-Pacífico é a que os adota de forma mais frequente: cerca de 40% das transações em lojas físicas são realizadas desta forma. Esse índice cai para 10% na América do Norte, 8% no Oriente Médio e na África, 7% na Europa e 6% aqui na América Latina. Todos eles registraram crescimentos ao longo de 2020.

Ou seja: está claro que os pagamentos digitais vieram para substituir, cada vez mais, o dinheiro — e Johnson corrobora essa informação: segundo o executivo, em 2024, o pagamento em espécie representará apenas 13% das transações em lojas físicas ao redor do mundo. Nos EUA, essa taxa cairá para 10%.

Admirável mundo novo, hein?

via Computerworld

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
iPad Pro

Próximos iPads Pro poderão ter chip equivalente ao M1

Próximo Artigo
Teste de bateria: iPhone 12 Pro Max x Galaxy S21 Ultra

iPhone 12 Pro Max vence Galaxy S21 Ultra em teste de bateria

Posts Relacionados