O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apple Park
Foto de Carles Rabada no Unsplash

Como pequenas empresas são adquiridas pela Apple

Algumas informações mais aprofundadas sobre processo de compra de empresas pela Apple

Uma empresa grande como a Apple está sempre procurando maneiras de expandir seus negócios. Para isso, muitas vezes ela realiza a aquisição de outras companhias menores — para integrar seus funcionários e suas tecnologias à sua equipe ou solucionar possíveis percalços. Em uma reportagem recente publicada pela CNBC, surgiram algumas informações mais aprofundadas sobre o que acontece nesse processo.

Publicidade

Para termos uma noção da quantidade de empresas que são adquiridas pela gigante de Cupertino, em fevereiro deste ano Tim Cook disse a acionistas que a Apple comprou aproximadamente 100 empresas nos últimos 6 anos — números impressionantes, já que temos uma média de uma empresa sendo adquirida a cada 3-4 semanas!

Nadando contra a maré

Antes de mais nada, é bom a gente lembrar que a Apple, quando o assunto é aquisição de outras empresas, vai contra a tendência do mercado. Enquanto grandes companhias como Amazon, Google e Facebook realizam, com frequência, acordos multibilionários, a Apple foca na compra de pequenas empresas e startups que muitas vezes possuem tecnologias promissoras para o desenvolvimento de produtos futuros.

São raras as ocasiões em que a Maçã faz algum tipo de compra maior, como foi o caso da Beats em 2014, por US$3 bilhões. Essa compra foi extremamente positiva para a empresa e possibilitou o desenvolvimento não apenas dos AirPods e o crescimento do segmento de fones de ouvido sem fio (True Wireless Stereo, ou TWS), como abriu as portas para o Apple Music.

Publicidade

Temos também o caso do Shazam, em 2018. O serviço de reconhecimento de músicas, adquirido por US$400 milhões, permitiu a incorporação desse recurso de forma nativa no iOS, seja usando a Siri ou a Central de Controle do iOS/iPadOS.

Mão de obra especializada

De acordo com pessoas familiarizadas com o processo de aquisição da Apple, ela geralmente valoriza a compra de empresas levando em conta a quantidade de engenheiros que consegue trazer para seus times. Esses profissionais especializados são chamados muitas vezes de contribuidores individuais.

É claro que cada compra tem suas particularidades mas, segundo a reportagem, na maioria das vezes a Apple também não tem a intenção de continuar o modelo de negócios das empresas que adquire, como fez com a Beats até o momento. A receita gerada por essas empresas menores é ínfima para a Apple e ela prefere integrar seus funcionários e tecnologias no desenvolvimento dos seus próprios produtos — muito deles, futuros, que ainda não foram lançados.

Publicidade

Além disso, a compra de empresas menores ou startups permite que a Apple consiga integrar os novos funcionários em suas equipes de forma mais fácil e silenciosa — ela inclusive possui um time que cuida especificamente disso.

Superar dificuldades

Lá em 2019, em uma entrevista para a CNBC, Cook deixou claro que a estratégia da Apple é identificar os pontos nos quais ela possui dificuldades e comprar empresas que a auxiliem a solucionar tais problemas. Um exemplo disso foi a aquisição da Authentec, lá em 2012, que ajudou no desenvolvimento do Touch ID — introduzido pela primeira vez em 2013, no iPhone 5s.

Em outras ocasiões, a compra de empresas leva ao surgimento de novos recursos em seus sistemas operacionais, como foi o caso da Workflow — um aplicativo de automação que, após ser adquirido pela Apple, em 2017, se tornou a base para o aplicativo Atalhos (lançado no iOS 12, em 2018).

Discrição acima de tudo

Ainda de acordo com a reportagem, a Apple procura sempre manter a maior discrição possível durante o processo de aquisição. Em alguns casos, ela adverte os novos funcionários a não atualizarem seus perfis no LinkedIn com seu novo cargo; em outras ocasiões, até exige acordos de confidencialidade (os famosos NDAs, ou non-discloruse agreements).

Um caso relatado foi o de um homem (não identificado, é claro) que, após a notícia da venda da sua empresa para a Apple se espalhar, não pôde nem responder as mensagens de seus amigos e familiares o parabenizando — justamente por conta de tais acordos.


Essas informações esclarecem um pouco o processo de expansão da Apple, o que ela prioriza e quais áreas ela está querendo expandir. Recentemente, ela tem realizado constantes aquisições de empresas nos setores de realidade aumentada, inteligência artificial, saúde e muitos outros que nos dão uma noção do rumo dos seus futuros produtos.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Senhas (Google)

Google implementará autenticação de dois fatores por padrão

Próximo Artigo
Klipped

Promoções na App Store: Klipped, Charger Play, Our Galaxy e mais!

Posts Relacionados