O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Drives externos
TonelsonProductions / Shutterstock.com

Apple pode acabar com backups inicializáveis, diz desenvolvedor

O hábito de rodar e recuperar sistemas em backups inicializáveis definitivamente não é de hoje. Para alguns usuários, a prática oferece uma segurança extra, caso a unidade principal de seu dispositivo corrompa ou encontre algum problema.

Publicidade

Para os menos habituados com o processo de restauração de um sistema, um backup inicializável é feito a partir de uma mídia (comumente outro disco externo, pendrive ou cartão SD) que contém um “ambiente” capaz de executar as tarefas básicas de restauração de um sistema operacional.

Assim sendo, ele contém os drivers necessários para acessar o dispositivo e o software para restaurar os dados pela mídia de backup.

No entanto, tudo indica que no macOS isso poderá mudar em breve. As informações são de Mike Bombich, fundador da Bombich Software — empresa responsável pelo Carbon Copy Cloner, famoso utilitário de backup e geração de cópias de drives.

A polêmica

No dia 19 de maio, em um artigo no blog oficial da companhia, Bombich compartilhou que o CCC continuará a fazer backups inicializáveis ​​para Macs com chips Intel e Apple Silicon, e “continuará oferecendo suporte a essa função enquanto o macOS suportar isso”.

Publicidade

No entanto, o desenvolvedor também afirmou que, com as mudanças na forma como o Mac funciona — dada a transição para o Apple Silicon —, a capacidade de utilizar backups externos inicializáveis poderá se tornar limitada em breve.

O primeiro problema, segundo Bombich, é o macOS Big Sur. Quando lançado, a Apple adicionou fortes proteções criptográficas para armazenar o conteúdo do sistema em um Volume de Sistema Assinado (Signed System Volume, ou SSV), que só poderia ser copiado pelo Apple Software Restore (ASR). Embora o CCC tenha sempre utilizado o ASR, a ferramenta foi considerada imperfeita, falhando “sem explicações” e operando de forma “muito unidimensional”.

Publicidade

O segundo entrave foi justamente o que Bombich chamou de “Apple Fabric”, um sistema de armazenamento que usa chaves de criptografia por arquivo — tal como nos dispositivos iOS. Ele também conta que o ASR não funcionou por diversos meses com esse sistema, sendo corrigido apenas no lançamento do macOS 11.3, em abril passado. Mesmo assim, o famoso kernel panic ocorreu durante uma clonagem de volta para o armazenamento interno original.

A “confirmação” da Apple

Em dezembro do ano passado, o desenvolvedor conversou com a Apple sobre a confiabilidade do ASR e foi informado que a empresa estava trabalhando para resolver o problema. Durante a ligação, os engenheiros da Apple também disseram que copiar os arquivos do sistema macOS era “algo que poderia não ser suportado no futuro”.

Em sua postagem, o dono da Bombich Software declarou:

Publicidade

Muitos de nós, na comunidade Mac, pudemos ver que essa era a direção que a Apple estava tomando, e agora finalmente temos a confirmação. Especialmente desde a introdução do APFS [Apple File System], a Apple está se movendo em direção a um bloqueio de arquivos de sistema macOS, sacrificando alguma conveniência para aumentar a segurança.

Bombich relatou surpresa ao perceber uma mudança em um documento de Segurança de Produto, publicado em fevereiro. De acordo com a página, o processo de inicialização em Macs com Apple Silicon é sempre facilitado por um volume no armazenamento interno.

Especialistas da Apple “confirmaram inequivocamente” a Bombich que não é possível inicializar um Mac com Apple Silicon a partir de backups externos bootáveis, caso o armazenamento interno esteja morto.

“Em teoria, isso significa que os Macs com Apple Silicon não podem inicializar se o armazenamento interno falhar”, afirmou ele.

A posição de Bombich

O desenvolvedor informou, em seu artigo, que mudanças nos planos de recuperação do usuário final são necessárias para que eles não dependam mais de dispositivos de inicialização externos.

No caso do Carbon Copy Cleaner, ele não fornecerá a opção de tornar um backup inicializável por padrão quando usuários estiverem rodando o macOS Big Sur. Embora o programa não elimine a capacidade de copiar a pasta System, a ferramenta “vai continuar a oferecê-la com uma abordagem de melhor esforço”.

Todavia, para a restauração de dados não inicializáveis, os backups do CCC ainda funcionam com o Assistente de Migração (Migration Assistant) do macOS, que está disponível ao inicializar um novo Mac pela primeira vez.


Não bastassem todas as polêmicas que a Apple tem se envolvido, parece que estamos diante de mais uma. Resta-nos, portanto, aguardar o desenrolar dessa história…

via AppleInsider

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior

Aplicativo Apple TV para Xbox ganha suporte a Dolby Vision

Próximo Artigo
Memojis da WWDC21

Rumor: novos MacBooks Pro poderão ser lançados na WWDC21

Posts Relacionados