O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Uigures

Fornecedoras da Apple estariam discriminando uigures e grupos minoritários

Fornecedores não querem contratar Uigures e outros grupos minoritários

Aqueles que estão acompanhando os acontecimentos em Xinjiang (na China) e toda a questão dos uigures sabem bem como a situação está feia. Em meio a toda essa onda de violência e discriminação, algumas fornecedoras da Apple por lá não estão aceitando aplicações para vagas de emprego de grupos minoritários, como os próprios uigures.

Publicidade

As informações foram veiculadas pelo The Information, que descobriu uma série de anúncios de vagas para linhas de montagem contendo descrições racistas e discriminatórias em relação aos uigures muçulmanos, pessoas mais velhas ou com tatuagens.

Um grupo de direitos humanos estima que 1 milhão de uigures muçulmanos são perseguidos na China. Na verdade, o país mantém essa população marginalizada e os obriga a atender aos costumes chineses e falar mandarim. Já os uigures se veem cultural e etnicamente mais ligados à Ásia Central do que ao resto da China em si.

No total, foram encontrados mais de 100 anúncios de cerca de 30 empresas de alistamento terceirizadas. Muitos deles dizem explicitamente que grupos minoritários não podem se inscrever, mesmo que isso seja ilegal sobre as leis chinesas e viole as regras da Apple com seus fornecedores.

Publicidade

“Tibetanos, uigures, hui, yi, dongxiang do Tibete ou das regiões de Xinjiang não são aceitos”, disse um anúncio de emprego no mês de abril da Biel Crystal, uma empresa que fabrica vidros para o iPhone.

Dentre essas empresas, encontram-se fornecedoras de iPhones, iPads, Apple Watches e AirPods, além de placas de circuito impresso, módulos de tela, lentes de câmera, baterias, cabos de dados, vidros de cobertura, embalagem… ou seja, quase tudo que está presente em produtos da Maçã. Os nomes incluem algumas das fornecedoras mais famosas da empresa, como Foxconn, Pegatron, Quanta Computer, Wistron, Luxshare Precision Industry, Compal Electronics e Goertek.

A ironia

O artigo do The Information relata a ironia de como alguns dos fornecedores da Apple, que foram acusados de uso de trabalho forçado de uigures, são os mesmos que negavam-lhes emprego no mercado de trabalho aberto.

Inclusive, alguns desses fornecedores — cujos anúncios dizem que não contratarão minorias — participaram de programas do governo para transferir trabalhadores uigures de Xinjiang, uma prática que grupos de direitos humanos desprezam. Esses fornecedores incluem a Lens Technology, a Luxshare e a Suzhou Dongshan Precision Manufacturing, que fabricam vidros para iPhones, AirPods e placas de circuito impresso para a Apple, respectivamente — entre outras peças.

Publicidade

O Tech Transparency Program ainda encontrou informações que ligam a fabricante de turbinas eólicas Xinjiang Goldwind Science & Technology, parceira da Apple em seu projeto de alcançar 100% de neutralidade de carbono até 2030, à repressão dos uigures e ao uso de trabalho forçado.

Isso faz parte dos investimentos da Apple na China como parte de seu Fundo de Energia Limpa da China, lançado em 2018. A empresa planeja investir US$300 milhões até 2022, a fim de estabelecer uma rede de 1 gigawatt de energia renovável.

Outros tipos de discriminação

Além da etnia, outras formas de discriminação também foram encontradas nos anúncios. Uma das fornecedoras de lentes da Maçã disse que os candidatos não devem ter tatuagens ou cabelos tingidos de amarelo; homens devem ter menos de 30 anos e mulheres não podem ter mais de 40; além disso, um dos anúncios dizia que todos os candidatos às vagas deveriam ser submetidos a exames médicos.

Todas essas condições violam as regras da Apple para fornecedores, as quais também dizem que as fábricas não podem exigir que os funcionários sejam submetidos a exames de condições médicas.

Publicidade

Um porta-voz da Apple disse que a empresa monitora esses anúncios à procura de quaisquer formas de discriminação, e que desde o começo do ano já removeu mais de 300 deles do ar. A Maçã também disse que não se afilia a tais anúncios e nem permite que seus fornecedores demandem essas exigências.

De qualquer forma, é preocupante ver as condições impostas por essas empresas passar por baixo dos olhos da Apple. Veremos no que toda essa situação vai dar…

via AppleInsider, iMore

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Google Stadia

Google anuncia versão final do Stadia para iPhones e iPads

Próximo Artigo
Atualização do iPhone

Usuários acusam Apple de obsolescência programada no iOS 14

Posts Relacionados