O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

WhatsApp é multado em 225 milhões de euros por violar leis europeias

Ícone do WhatsApp

A Comissão Irlandesa de Proteção de Dados (Data Protection Commissioner, ou DPC) multou o WhatsApp em 225 milhões de euros (aproximadamente R$1,3 bilhão) por não fornecer detalhes suficientes de como compartilha os dados de usuários da União Europeia com o Facebook.

Publicidade

De acordo com o órgão irlandês, o mensageiro não cumpriu as obrigações de transparência do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (GDPR); eles também alegaram que o compartilhamento de dados entre as redes sociais por si só já é uma violação à regulamentação.

A decisão solicitou ao mensageiro que melhorasse sua transparência e alinhasse o compartilhamento de dados ao GDPR. Inicialmente, a agência irlandesa planejava multar o WhatsApp em 50 milhões de euros “apenas” por violar o GDPR, mas aumentou a punição depois que a Alemanha e outros países da UE acusaram a comissão de ser tolerante demais com as violações de privacidade.

O WhatsApp, claro, apelou da decisão e disse que se esforçou para oferecer informações “transparentes e abrangentes” aos usuários, alegando ter cumprido todos os requisitos de transparência em 2018 (ano em que a investigação começou) e que as multas são “totalmente desproporcionais”.

Publicidade

Por falar em multa, esta é a mais recente de uma série de penalidades voltada para as Big Techs. Em julho passado, a Amazon, por exemplo, enfrentou uma multa recorde de US$888 milhões devido a problemas de GDPR. Além dela, o Twitter foi solicitado a pagar 450 milhões de euros por não relatar um vazamento de dados no período de 72 horas.

Grave vulnerabilidade no mensageiro foi descoberta e corrigida

Recentemente, pesquisadores de segurança da Check Point Research (CPR) descobriram uma grave vulnerabilidade do popular mensageiro. Segundo eles, a falha poderia levar ao vazamento de dados confidenciais dos usuários, mas já foi corrigida pela empresa.

A invasão por crackers contornava a criptografia de ponta a ponta e exigia “etapas complexas e ampla interação do usuário” para ser realizada. Para realizá-la, os malfeitores precisavam enviar um anexo que continha uma imagem maliciosa específica.

Felizmente, nenhum usuário teve seus dados expostos, pois a CPR informou ao WhatsApp sobre a vulnerabilidade no ano passado e o bug foi rapidamente corrigido no início deste ano. A partir da versão 2.21.1.13, o app conta com duas maneiras de verificar a integridade de uma imagem editada com filtros para evitar a invasão.

O mensageiro do Facebook posteriormente agradeceu à CPR por relatar a falha, dizendo que a criptografia do aplicativo continua segura e que as empresas de pesquisa de segurança são importantes para evitar que vulnerabilidades como essa sejam usadas para fins maliciosos.


Ícone do app WhatsApp Messenger
WhatsApp Messenger de WhatsApp Inc.
Compatível com iPhones
Versão 2.21.180 (187.3 MB)
Requer o iOS 10.0 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App Store Código QR Código QR

Ícone do app WhatsApp Desktop
WhatsApp Desktop de WhatsApp Inc.
Compatível com Macs
Versão 2.2134.10 (112.4 MB)
Requer o macOS 10.10.0 ou superior
GrátisBadge - Baixar na Mac App Store Código QR Código QR

via The Verge, Cult of Mac

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
3ª temporada de "Dickinson"

3ª temporada de "Dickinson" será a última e estreará no dia 5/11

Próximo Artigo
Renders do suposto "Apple Watch Series 7"

Gurman detalha telas maiores do Apple Watch; novo SE poderá ser lançado

Posts Relacionados