O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

iPad de 10,2 polegadas (nona geração) com a tela inicial do iPadOS 15

Comparativo: iPads de 8ª e 9ª gerações

Com a chegada do iPad de nona geração, muitos usuários vão começar a analisar as diferenças entre os dois modelos (o novo e o anterior) para saber se compensa investir na versão mais recente ou se é melhor continuar (ou adquirir) o modelo mais antigo, que ainda deverá ter estoque em algumas lojas (por preços mais competitivos) por algum tempo.

Publicidade

Para tanto, vamos conferir algumas das semelhanças e das diferenças entre os iPads de oitava e nona gerações — embora existam mais semelhanças do que diferenças, é bom notar.

Design e tela

Quanto ao design, temos poucas mudanças. Nesse sentido, o novo iPad mantém a tela Retina de 10,2 polegadas (com resolução de 2160×1620 pixels a 264ppp) retroiluminada por LED1, com tecnologia IPS do seu antecessor.

A novidade fica por conta do suporte à tecnologia True Tone (disponível agora em todos os modelos das linhas de iPads) e sRGB.

Ademais, muitos outros recursos familiares permanecem, como botão de Início com Touch ID e dois alto-falantes. Agora, diferentemente de todos os outros modelos de iPads disponíveis, o modelo mais básico é o único que continuou com entrada Lightning — e, por isso, é o único compatível com o Apple Pencil de primeira geração.

Dimensões

Como o design/estrutura não mudou, as dimensões dos iPads de oitava e nona gerações são as mesmas — exceto pelo peso, o qual sofreu uma pequena alteração nos dois modelos (Wi-Fi e Wi-Fi + Cellular).

Os modelos têm 250,6mm de altura, 174,1mm de largura e 7,5mm de espessura. Quanto ao peso, o iPad de nova geração (Wi-Fi) tem 487 gramas, ante 490g do modelo anterior; já o Wi-Fi + Cellular tem 498g, ante 495g da geração passada.

Processador e armazenamento

O iPad mais básico sempre fica atrás dos modelos mais avançados em termos de processamento. Nesse sentido, o iPad de oitava geração tem um chip A12 Bionic com arquitetura de 64 bits — um chip de 2018, que alimentou o iPhone XS e conta com Neural Engine.

Agora, o iPad de nova geração vem com o chip A13 Bionic — o mesmo dos iPhones 11 — também, é claro, com Neural Engine.

Publicidade

Embora não seja tão potente quanto o A14 Bionic do iPad Air 4 — e nem perto do M1 dos iPad Pros —, o A13 ainda é um ótimo chip, muito melhor do que os processadores de muitos tablets topo-de-linha da concorrência.

No entanto, uma boa novidade do novo iPad é o armazenamento mínimo: em vez de 32GB, ele agora vem com 64GB.

Câmeras frontal e traseira

Aqui, uma novidade inesperada: o iPad ganhou um recurso do iPad Pro, sendo ele a câmera frontal com um ângulo de 122º e 12 megapixels. Ela também oferece agora zoom out óptico de 2x, alcance dinâmico estendido para vídeo com até 30 quadros por segundo e gravação de vídeo HD de 1080p a 25qps, 30qps ou 60qps — antes, o limite era a 720p.

As mudanças na câmera frontal também tornaram o novo iPad compatível com o recurso Palco Central (Center Stage), o qual permite que o software “siga seu rosto” conforme você se move.

A câmera principal (traseira) ainda é a de 8MP (com abertura ƒ/2.4, zoom digital até 5x e HDR2) de antes — a qual dá conta do recado, mas não surpreende.

Bateria e conexões

Não houve nenhuma mudança no desempenho da bateria do iPad de oitava para o de nona geração. Desta forma, ambos os modelos oferecem suporte para até 10 horas de navegação na internet via Wi-Fi ou assistir a vídeos, e até 9 horas para navegar na internet usando dados de rede celular.

Da mesma forma, ambos as gerações têm suporte a Wi‑Fi 5 (802.11a/b/g/n/​​ac), a frequências de 2,4GHz e 5GHz com velocidade de até 866Mbps, MIMO e Bluetooth 4.2, bem como LTE de classe Gigabit.

Acessórios

Como o modelo anterior — e como falamos acima —, o novo iPad é compatível com o Apple Pencil (de primeira geração). Sim, o carregamento do lápis continua pela porta Lightning. 🤷🏻‍♂️

O iPad de nona geração também mantém o suporte ao Smart Keyboard, da mesma forma que o modelo anterior.

Resumindo…

Como dissemos, ambas as gerações compartilham mais semelhanças do que diferenças; portanto, para facilitar, a lista a seguir traz, basicamente, as novidades do novo modelo.

  • Armazenamento mínimo maior, de 64GB
  • Processador mais poderoso
  • Tela True Tone
  • Câmera frontal com 12 megapixels e suporte ao recurso Palco Central

Sim, é uma lista muito curta, mas o iPad básico, sem dúvida, não precisa de muito para se manter relevante — afinal, ele é um tablet voltado principalmente ao público educacional. Não obstante, ele roda o mesmo sistema dos modelos topos-de-linha e compartilha vários recursos desses.


Como informamos, o novo iPad estará disponível em breve, a partir de R$4.000 (Wi-Fi) e R$5.500 (Wi-Fi + Cellular) em breve.


Miniatura do iPad de nona geração
iPad de Apple Preço à vista: a partir de R$3.599,10
Preço parcelado: em até 12x de R$333,25
Cores: cinza espacial ou prateado
Capacidades: 64GB ou 256GB
Lançamento: setembro de 2021
Geração: 9ª geração

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão por cada venda concluída por meio dos links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Sistema de câmeras triplas do iPhone 13 Pro azul-sierra

iPhones 13 americanos são compatíveis com redes 4G/5G brasileiras

Próximo Artigo
iPad mini de sexta geração de frente, em todas as cores

O que muda no iPad mini de 6ª geração em relação ao anterior?

Posts Relacionados