O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

RoboVac 11S

Review: robô aspirador RoboVac 11S, da eufy

Já faz muito tempo que eu queria testar um robô aspirador. Sabe como é: com duas filhas pequenas em casa (uma de sete e outra de quatro anos), por mais que você tente, a sua casa nunca fica arrumada e o chão nunca fica limpo. 😛

Publicidade

Na minha concepção — de uma pessoa que, até então, não tinha tido nenhum contato com um produto desses —, todos esses robôs aspiradores (pelo menos os de marcas conhecidas e de boa qualidade) tinham algum tipo de integração com iPhones, eram “inteligentes” a ponto de mapear sua casa, entre outros recursos que poderiam ajudar a automatizar a limpeza.

Engano meu. E engana-se quem está lendo isso e pensando que essa minha frase é, de alguma forma, pejorativa. Não é. E nas próximas linhas eu explicarei tudo.

Há algumas semanas venho testando o RoboVac 11S, o aspirador de entrada (aquele mais em conta) da eufy comercializado no Brasil — eles também vendem por aqui o G10, sobre o qual já fizemos um vídeo. E já adianto que estou gostando bastante da experiência de ter um produto desses me ajudando na limpeza da casa.

Publicidade

Antes de entrar nos detalhes, vamos ao produto em si.

O produto

Caixa

Ao abrir a caixa do RoboVac 11S, além do aspirador em si, você tem um adaptador de energia, uma base de recarga, quatro escovas laterais (você precisa de duas, então o outro par é reserva), dois filtros (um já dentro do aspirador, o outro também é reserva), uma “ferramenta” de limpeza”, um controle remoto e duas pilhas AAA.

Ao tirar o produto da caixa, você não precisa montá-lo nem nada. Basta encaixar as duas escovas laterais, retirar os protetores que ficam no “parachoque” do aspirador (mais sobre isso depois), tirar um adesivo e ligar o interruptor para que ele possa ser recarregado.

Feito isso, a eufy pede para que seja feita uma recarga inicial antes do uso (que pode levar mais ou menos quatro horas). Depois, ele está pronto para começar a trabalhar.

Especificações técnicas

Abaixo, alguns dados relevantes do produto:

  • Poder de sucção: 1.300Pa
  • Bateria: até 100 minutos
  • Capacidade do reservatório: 600ml
  • Peso: 2,6kg
  • Tamanho: 32x7x31cm
  • Ruído: 55dBA

Minhas expectativas iniciais

Como eu disse, na minha cabeça qualquer robô aspirador que se preze (de boa qualidade) deveria ter uma baita conectividade, permitindo que você faça toda uma programação/reconhecimento da sua casa e deixe ele trabalhar sozinho, sem nem precisar interagir com o produto.

O RoboVac 11S não tem nada disso. Você tem um controle remoto… e só. O máximo de programação que você pode fazer é agendar um horário para ele fazer uma limpeza. Para ligá-lo, você pode apertar o único botão que existe na parte de cima do aspirador ou, é claro, usar o controle remoto.

Publicidade

Antes de começar a experimentar o produto, eu achei que isso seria um grande ponto contra ele. Na prática, vou lhe contar que isso fez pouca diferença. É verdade que eu ainda não experimentei um robô inteligente assim, que conheça exatamente como são os cômodos da casa e saiba voltar para a base de forma inteligente, com uma rota traçada. Algo assim deve ser um plus, mas está muito longe de ser indispensável — e, obviamente, influencia muito no preço do produto.

Também não senti falta de controlar ou interagir com o aspirador por um app no iPhone. A facilidade e a simplicidade de pegar o controle remoto dele, ligar e não fazer mais nada é ótima — e, diria, algo positivo para pessoas que não têm tanta intimidade assim com smartphones.

A conclusão que eu cheguei nessas semanas de uso do RoboVac 11S é de que tem coisas que definitivamente não precisam ser conectadas e inteligentes. Basta fazer o que se propõe (limpar) de uma forma satisfatória que está ótimo.

Usando o RoboVac 11S

Um aspirador precisa limpar. E isso o RoboVac 11S faz. Pelo menos em meus testes (como disse, tenho duas filhas pequenas que deixam rastros pela casa), ele não deixou absolutamente nada para trás. Sugou granola, poeira, cabelo, aveia, restos de comida e tudo mais que você imaginar sem nenhum problema.

Ele funciona da seguinte forma: as duas escovas laterais “varrem” o chão, puxando a sujeira para a parte central do aspirador que, por sua vez, tem uma escova a qual joga a sujeira para o compartimento — que não tem um saco plástico nem nada, apenas um local onde a sujeira fica e não volta graças ao filtro.

RoboVac 11S

Antes de você ligar o RoboVac 11S, é bom tirar do caminho coisas pequenas que não combinam com um aspirador robô, como meias, brinquedos, cabos, fios, etc. Isso porque o aspirador poderá “engasgar” com algo assim; caso isso aconteça, ele começará a apitar e piscar em laranja (botão superior), informando que precisa de ajuda para voltar a funcionar.

Modos de limpeza

Falando dos modos de aspiração em si, temos os seguintes:

  • Limpeza localizada: o RoboVac limpa intensamente uma área específica em um padrão espiral, útil se houver uma área concentrada de poeira ou detritos.
  • Limpeza de bordas: o RoboVac reduz sua velocidade ao detectar uma parede e, em seguida, segue a parede para garantir que a borda seja limpa completamente.
  • Limpeza do quarto individual: o RoboVac limpa intensamente um único cômodo e para após 30 minutos.
  • Limpeza programada: você pode definir um horário diário para que o RoboVac faça a limpeza.
  • Limpeza automática: o RoboVac otimiza seu caminho de limpeza selecionando diferentes modos de limpeza automaticamente até a limpeza ser concluída ou a bateria chegar ao fim — é o modo que eu mais uso aqui.
  • Limpeza manual: o controle remoto do RoboVac 11S conta com setas direcionais que você pode usar para controlar o aspirador, seja para levá-lo a um outro cômodo, aspirar um determinado local ou até ajudá-lo a voltar para a base (mais sobre isso abaixo).

Além desses modos de limpeza, temos um três opções de velocidade de sucção: normal (Standard), BoostIQ e máxima (Max).

As opções normal e a máxima são autoexplicativas; já o BoostIQ é bem interessante: quando ativado, o aspirador aumentará automaticamente a potência de sucção se detectar que uma potência mais forte é necessária para garantir que aquele local seja limpo — essa opção é ótima para quem tem tapetes/carpetes, por exemplo.

Quando o BoostIQ está em funcionamento — ou se a opção de sucção máxima estiver ativada —, é bom notar que o barulho é algo que pode lhe incomodar. Está longe de ser comparável a um aspirador comum, daqueles que estamos acostumados. Mas se você ficar trabalhando (como eu fico) enquanto o aspirador está trabalhando, pode incomodar um pouco. No mais, é bom ressaltar, também, que o BoostIQ só funciona nos modos de limpeza automático ou de um quarto individual.

Autonomia

Como disse, eu costumo usar o RoboVac 11S na limpeza automática, com a sucção normal — isso já dá conta do recado aqui em casa. O aspirador fica na sala, cômodo que mais precisa de atenção por aqui. Mas de vez em quando eu coloco-o na cozinha e nos quartos, também.

É comum eu deixar ele ligado por uns 30-45 minutos na sala e no (pequeno) corredor que dá acesso aos quartos. Esse tempo é suficiente para tudo ficar bem limpo. Nesta semana, contudo, fiz um teste específico para esse review: deixei o robô ligado, com todas as portas abertas, para ver quanto tempo ele aguentava e se a casa ficaria limpa.

Pois bem: ele aspirou por duas horas seguidas antes de a luz azul (que fica em cima dele) mudar para laranja, indicando que a bateria estava no fim. Levando em conta a promessa de 100 minutos de autonomia, estamos diante de uma ótima performance.

Obstáculos

Isso pode variar de casa para casa, é claro. Por aqui, não tenho escadas nem desníveis — ainda que, de acordo com a eufy, o RoboVac 11S possua um sensor antiqueda para ele não descer escadas rolando e seja capaz de transpassar desníveis pequenos em uma residência.

O maior problema no minha casa são as cadeiras da mesa de jantar — na verdade, imagino que quaisquer cadeiras. Quando você tem uma superfície comprida o suficiente, o sensor do RoboVac 11S consegue detectar o “obstáculo” e já vira para se livrar dele. No caso das pernas das cadeiras, ele simplesmente não enxerga e entra em contato (literalmente bate nelas), para aí sim tomar outra direção.

Até aí, nada demais, afinal o aparelho tem um parachoque justamente para esse tipo de situação (é ele que informa ao aspirador que ele precisa virar e seguir outro caminho quando o sensor não faz seu papel). O que incomoda, nesse caso, é o barulho mesmo da cadeira “arrastando”/se deslocando, já que o impacto é suficiente para mover (nem que seja um pouquinho de nada) as cadeiras que eu tenho aqui (que são de acrílico).

No mais, é bem legal ver o comportamento do aspirador quando ele bate numa cadeira ou num outro obstáculo. Quando isso acontece, ele volta um pouco e muda de direção para prosseguir com a limpeza. Em alguns momentos, como numa cadeira de balanço que temos aqui, ele pode entrar debaixo dela e demorar um pouco para sair. Mas é bem interessante ver ele tentando se livrar dessas barreiras físicas. 😛

Limpeza do robô

Após semanas de testes, eu posso afirmar que limpei o coletor de poeira do aspirador umas três vezes, no máximo. Ele não é grande, mas dá conta do recado.

Um ponto importante são cabelos. Aqui em casa são três mulheres, então cabelo é uma coisa em abundância. E ainda que o robô aspire muitos deles, alguns acabam se emaranhando nas rodas e nas próprias hélices. Então, de vez em quando, eu viro o RoboVac para fazer uma limpeza e livrá-lo desses fios.

A eufy recomenda limpar o coletor todas as vezes que você terminar de aspirar, bem como o filtro (que tem sistema de filtragem triplo) e as escovas laterais uma vez por semana. O resto, uma vez por mês. Mas a gente sabe que é difícil seguir essas regras… 😛

Ainda assim, tudo é bem fácil e simples de ser feito. Basta seguir as informações do manual e usar a ferramenta que vem na caixa que ajuda a limpar algumas partes do aspirador para deixá-lo “novinho” de novo. Não há muito mistério.

Contras do RoboVac 11S

A única parte da conectividade/inteligência que eu realmente sinto falta no RoboVac 11S é de ele saber exatamente onde está a base dele e voltar para recarregar sem ficar perdido pela casa.

Seja por conta da bateria terminando ou por você pressionar o botão no controle para ele voltar para a base, o RoboVac 11S entra num modo “repouso” (para de sugar e se locomove mais lentamente) até retornar ao seu local. O problema é que, a não ser que isso aconteça realmente perto da base, ele fica “perdido” pelo cômodo, indo para todos os lados até chegar relativamente perto da base e, aí sim, se encaminhar para ela.

Peguemos o meu caso como exemplo: a base dele fica na sala. Se ele parar de aspirar esse cômodo, invariavelmente ele vai conseguir achar a base; mas, se ele estiver no meu quarto, será algo quase que impossível. Ou eu pego o aspirador com a mão e coloco-o perto da base, ou tenho que ir controlando o caminho dele (de forma manual, pelo controle remoto).

Dessa forma, seria ótimo se ele fosse inteligente o suficiente para voltar à base independentemente de onde estivesse — para isso, é claro, ele precisaria ter um mapa total da minha casa em sua memória.

Você também precisa ficar atento a fios que possam estar pelo caminho, tapetes de banheiro (esses que ficam bem soltos) e coisas do tipo que podem enroscar no motor dele e fazê-lo parar de funcionar. Mas isso é algo intrínseco a basicamente qualquer robô aspirador, não apenas a esse modelo.

Bônus: ele serve como pet de estimação!

Minhas filhas estão naquela fase de querer um cachorro. Eu, é claro, reluto — vai sobrar para mim, que trabalho em casa e terei que cuidar de mais um filho.

Mas não é que o RoboVac 11S, de alguma forma, deu uma animada aqui em casa nesse sentido? Por essa eu não esperava! As meninas adotaram ele como um pet — ele ganhou até um nome: Lucio! 😂

Elas adoram ligar o aspirador e ficar “brincando”, fugindo do Lucio quando ele chega muito perto. Apresentam ele para qualquer os familiares que vêm aqui em casa… enfim, virou realmente um bicho de estimação — e o melhor, um que limpa em vez de sujar!

Se você tem filhos pequenos, pode começar a pensar num robô aspirador por esse prisma.

Onde comprar

O RoboVac 11S está à venda na Amazon brasileira, por R$1.700.

Um ponto importante a notar é que a bateria dele é removível. Sabendo que esse tipo de componente não dura lá muitos anos (vamos colocar aqui uma média de 1-2, talvez 3 anos), você pode comprar outra bateria no site da eufy e trocá-la sem nenhuma dor de cabeça. Dessa forma, o seu investimento num aspirador desses poderá se pagar facilmente com o tempo.

Se você não liga para a ausência de conectividade que eu mencionei acima — que pode ser um ponto positivo para pessoas que não se dão bem com produtos tão tecnológicos assim), eu recomendo bem o RoboVac 11S.

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão por cada venda concluída por meio dos links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Mulher usando um iPhone

Os 5 artigos mais lidos no MacMagazine: de 26 de setembro a 3 de outubro

Próximo Artigo
Homem fazendo uma concha com a mão para escutar melhor

Como ativar o Isolamento de Voz no FaceTime e em outros apps [iPhone e iPad]

Posts Relacionados