O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Chip de 12ª geração da Intel

Novo chip da Intel bate M1 Max, mas perde em eficiência energética

O comparativo “adequado”, no entanto, ainda não pode ser feito

Se há poucos anos a guerra na fabricação de processadores para computadores estava restrita à disputa Intel vs. AMD, no ano passado esse cenário mudou com a entrada da Apple neste segmento com o lançamento do M1.

Publicidade

Por esse motivo, a Maçã agora passa a figurar entre benchmarks sempre que algum novo chip é lançado, mesmo que determinados comparativos não sejam tão “justos” assim.

Ontem (4/11), por exemplo, a Intel lançou a 12ª geração dos seus processadores, chamados de “Alder Lake”. Ao todo, são seis novos modelos, incluindo um Core i9 (12900K) de 16 núcleos — 8 de eficiência e 8 de desempenho.

Esse modelo foi comparado aos chips M1 Pro e M1 Max — os quais foram lançados recentemente pela Apple nos novos MacBooks Pro — no benchmark do Geekbench 5 e se saiu superior em desempenho multi-core. O chip da Intel obteve 18.500 pontos e se mostrou quase 1,5x mais rápido que os da Maçã, com uma média de 12.500.

Publicidade

É importante ressaltar, é claro, que a comparação não é de todo apropriada, já que a Apple ainda não lançou os processadores que deverão equipar seus computadores mais potentes, como o Mac Pro — o chip lançado pela Intel é para ser utilizado em computadores desktops.

Justamente pelos chips M1 Pro/Max serem (pelo menos atualmente) focados em notebooks, um aspecto importante desse comparativo dá uma boa vantagem à Maçã: em temos de eficiência energética, os processadores M1 Pro/Max se saíram bem melhor, já que o chip com arquitetura x86 precisou de 125W a 241W de potência durante seu funcionamento, número superior ao do chip ARM.

Com isso, é possível concluir que a Maçã, até aqui, conseguiu cumprir o que prometeu para seus chips próprios: alto desempenho com baixo consumo de energia.

Publicidade

Uma comparação adequada de desempenho, no entanto, só será possível com a conclusão da transição dos computadores da empresa para seus próprios chips e, consequentemente, o lançamento da nova geração de processadores — que deverá contemplar o desktop topo-de-linha da Apple.

via Ars Technica

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Foto principal dos AirPods Max

Oferta: AirPods Max com 35% de desconto!

Próximo Artigo
Tesla

Apple contrata diretor da Tesla e amplia equipe do "Apple Car"

Posts Relacionados