O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Michael Vi / Shutterstock.com
Logo da TSMC

Maior cliente, Apple é responsável por 1/4 da receita da TSMC

A Maçã, entretanto, poderá ter de disputar espaço com a Intel muito em breve

Não é novidade para ninguém que a Apple é a principal cliente da Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC), fornecedora responsável pela fabricação dos chips das séries A (iPhones e iPads) e M (iPads Pro e Macs com Apple Silicon). Nós não tínhamos, entretanto, uma noção mais exata desse domínio — até agora.

Publicidade

Recentemente, o DigiTimes fez uma lista com os maiores clientes da TSMC e a porcentagem por qual cada um deles é responsável na sua receita anual. E finjam surpresa: a Apple contribui com 25,93% do faturamento da taiwanesa, quase 5x mais que a segunda colocada, a MediaTek.

Fecham o Top 10 da TSMC as seguintes empresas, respectivamente: AMD, Qualcomm, Broadcom, NVIDIA, Sony, Marvell, STM e ADI. A Intel sequer está nessa parte da lista, contribuindo com apenas 0,84% da receita anual da fornecedora — mas esse número poderá subir drasticamente em breve.

Explico: o novo CEO1 da Intel, Pat Gelsinger, já deixou claro seus planos de reinventar a empresa não como uma fabricante de chips, mas uma inventora de chips — mais ou menos a mesma coisa que a Apple tem feito, com muito sucesso, com seus processadores das séries A e M. Gelsinger e sua equipe estiveram recentemente em Taiwan e se reuniram com diversos fornecedores, incluindo a TSMC, para discutir parcerias e opções de fabricação.

Mais precisamente, em seus ambiciosos planos de superar o Apple Silicon e outras criações da concorrência, a Intel quer utilizar os serviços da TSMC para produzir seus futuros chips — unindo suas décadas de experiência na área com os processos produtivos de ponta encontrados em Taiwan. Com isso, estimativas indicam que a Intel poderá se tornar uma das três maiores consumidoras da TSMC após 2023 — e a colaboração poderá perdurar até a era dos 2 nanômetros, que só deverá chegar após 2025.

Publicidade

Isso, claro, não é exatamente positivo para a Apple: por mais que a Maçã tenha condições financeiras de manter a sua influência sobre a TSMC (e a taiwanesa esteja com planos ambiciosos de expansão), é claro que há um limite para isso: dependendo das ambições da Intel, é possível que as duas gigantes precisem disputar espaço dentro da capacidade produtiva da fornecedora.

Acompanhemos, portanto, os próximos capítulos dessa história.

via Patently Apple

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
"Severance"

Apple TV+ libera o teaser de "Severance", série de Ben Stiller

Próximo Artigo
Avaliações de podcasts no Spotify

Spotify agora permite avaliar e ver notas de podcasts

Posts Relacionados