O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Apple é obrigada pela justiça a pagar valor de fones a brasileiro

Quando um usuário adere a algum serviço de seguro/garantia estendida, ele (obviamente) quer ser ressarcido de alguma maneira caso aconteça algo com seu produto — algo que esteja amparado pelos termos do plano, é claro.

Publicidade

Há casos, no entanto, em que o usuário e a empresa responsável pelo plano divergem sobre as situações que são ou não cobertas pela garantia, o que muitas vezes acaba se transformando em uma disputa judicial.

Foi o que aconteceu com o leitor Ruleandson do Carmo, que entrou com um processo contra a Apple Brasil e recebeu da empresa — por determinação judicial — o valor de um um Powerbeats Pro adquirido em 2019 e “atrelado” ao plano de garantia estendida da Maçã, o AppleCare+.

O usuário solicitou a troca do par de fones à Apple depois que o seu cachorro de estimação ingeriu um dos lados do aparelho. Pelas fotos, é possível observar que restou apenas um pequeno pedaço de plástico inidentificável e, aparentemente, mastigado. A Maçã, no entanto, alegou que o fone não estava destruído, mas sim que Ruleandson o teria perdido.

Powerbeats Pro após acidente

Ruleandson afirma ter aberto uma reclamação, na qual foi “supermaltratado” pela empresa. “Não concorda, procure o juizado especial”, teria dito o atendente da Apple ao usuário, que seguiu o “conselho” e abriu um processo no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) com a finalidade de receber um fone novo.

Publicidade

Na sentença, o juiz da 4ª Unidade Jurisdicional Cível da Comarca de Belo Horizonte, Sergio Castro da Cunha Peixoto, negou o pedido da Apple para realizar uma perícia nos restos dos fones de ouvido, alegando que a intenção da empresa com a preliminar era “claramente protelatória”.

Segundo ele, a única perícia possível seria uma análise da composição química do material do pequeno pedaço deformado do equipamento para compará-lo com o material usado pela Apple na fabricação dos fones:

Publicidade

Obviamente uma perícia desta natureza diante do valor do produto sub judice é inviável, o que apenas evidencia seu intuito protelatório. Ademais, a ré já esteve com esses restos do fone de ouvido em seu poder e não realizou, como era de se esperar, esse levantamento pericial que agora afirma ser necessário. Optou por meramente negar a cobertura ao seguro contratado e agora, com isso, se sujeitar ao julgamento da causa com base nas provas que já se encontram no processo e que são suficientes à formação da convicção do julgador.

Rebatendo a alegação da Apple de que o acontecido seria caracterizado como “perda” — o que não é coberto pelo AppleCare+ contratado —, o jurista recorreu ao dicionário para afirmar que o ocorrido foi um “acidente”, ou seja, “um acontecimento infausto que envolve dano, estrago, sofrimento ou morte”.

O juiz ainda destacou o fato de que um veterinário atestou que, na data alegada pelo cliente, atendeu “um cachorro vira-lata de porte médio, sob a tutela do autor, que havia mastigado, destruído e ingerido o fone direito do Powerbeats Pro do seu tutor, tendo aquele expelido em suas fezes partes do fone”.

Com isso, o profissional decretou que a Apple teria que fazer a “substituição do equipamento do autor por outro de mesmo modelo e cor, em perfeito estado de funcionamento, sob pena de conversão em perdas e danos”.

Publicidade

A Maçã, no entanto, optou pela segunda opção ao alegar ser impossível enviar ao cliente um fone com as características exigidas, convertendo a sentença em “perdas e danos” e enviando ao cliente o valor integral de um fone novo (R$2.149).

Powerbeats Pro

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão de vendas concluídas por meio de links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Dagmara Domińczyk

Apple TV+: Dagmara Domińczyk entra pro elenco de "Hello Tomorrow!"

Próximo Artigo
Sincronização na nuvem

Falhas no iCloud têm causado erros de sincronização em apps [atualizado]

Posts Relacionados