O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Foto de Alexander Shatov no Unsplash
Spotify

Spotify terá links em podcasts sobre COVID-19; Joni Mitchell também deixa a plataforma [atualizado: Joe Rogan]

A empresa deixou implícito que o podcast de Joe Rogan não será removido

A enorme polêmica em que o Spotify se meteu na última semana, envolvendo a disseminação de conteúdo enganoso sobre a COVID-19, continua rendendo.

Publicidade

Neil Young acendeu o pavio quando anunciou a retirada de todas as suas músicas da plataforma caso o podcast “The Joe Rogan Experience”, acusado de promover tratamentos ineficazes e teorias conspiratórias sobre as vacinas contra o vírus, não saísse primeiro. A partir daí, outros artistas resolveram seguir o mesmo caminho, e nas redes sociais um grupo de usuários resolveu cancelar suas contas no Spotify como forma de protesto.

Agora, em meio a toda a controvérsia — e depois de perder cerca de US$2 bilhões em valor de mercado —, a rede resolveu se pronunciar. Em uma publicação no blog oficial do Spotify, o CEO1 Daniel Ek reconheceu que as políticas do serviço sobre desinformação e segurança nunca foram devidamente divulgadas, e que novas medidas, baseadas nas opiniões das comunidades médicas e científicas, serão tomadas para combater a disseminação de informações falsas e teorias conspiratórias.

Para os usuários, a novidade mais relevante é a adição de links informativos em qualquer episódio de podcast que inclua uma discussão sobre a COVID-19. Os links levarão a um centro de informações da COVID criado pelo próprio Spotify — por lá, serão destacados conteúdos cientificamente validados, com informações compartilhadas pro cientistas, médicos, acadêmicos e autoridades de saúde pública de diferentes partes do mundo.

Publicidade

O Spotify também publicou, pela primeira vez, suas Regras da Plataforma — um conjunto de diretrizes que já era seguido pela rede há anos, mas nunca havia sido disponibilizado publicamente. O documento traz, de forma detalhada, tudo aquilo que não é aceito pelo serviço, como conteúdo perigoso, enganoso, sensível ou ilegal, bem como as consequências para criadores de conteúdo que violem essas regras uma ou repetidas vezes. A empresa afirmou ainda que “testará formas de destacar essas regras” em suas ferramentas para criadores e publicadores de conteúdo.

Mesmo com as novidades, o podcast de Joe Rogan — que, vale lembrar, é exclusivo do Spotify após um pagamento de US$100 milhões e é, também, o mais escutado na plataforma — não foi removido do serviço. Na postagem, Ek deu a entender que a remoção não ocorrerá:

Pessoalmente, há muitos indivíduos no Spotify com opiniões das quais eu discordo profundamente. Nós sabemos que temos um papel crítico no apoio à expressão dos criadores, ao mesmo tempo em que precisamos equilibrar isso com a segurança dos nossos usuários. Neste papel, é importante para mim que nós não assumamos a posição de censores de conteúdo, ao mesmo tempo em que garantimos que há regras em jogo e consequências para aqueles que as violarem.

Pois bem, então — as novidades do Spotify começarão a surgir na plataforma nos próximos dias.

Joni Mitchell segue Neil Young

Enquanto o Spotify tenta encontrar um meio-termo entre os dois lados da controvérsia, outra lenda do folk rock resolveu apoiar e seguir o gesto de Neil Young: Joni Mitchell.

Joni Mitchell
Joni Mitchell

Em uma publicação no seu site, intitulada “Eu Estou com Neil Young!”, Mitchell classificou o conteúdo mantido pelo Spotify como “mentiras que estão custando a vida de pessoas” e criado por “pessoas irresponsáveis”. A artista declarou apoio a Young e às comunidades médicas e científicas ao redor do mundo ao anunciar que também retirou todo o seu catálogo da plataforma.

Publicidade

Vale notar que o anúncio de Mitchell ocorreu um dia antes das novidades do Spotify — ou seja, ainda não sabemos se as melhorias propostas pelo serviço serão suficientes para os artistas que retiraram suas músicas da plataforma. Aguardemos os próximos capítulos dessa história.

via AppleInsider, Gizmodo

Atualização, POR DIOGO AMMON31/01/2022 às 20:00

Em um vídeo no Instagram, Joe Rogan se desculpou e prometeu se esforçar para trazer visões mais equilibradas ao seu podcast.

Farei o meu melhor para tentar equilibrar esses pontos de vista mais controversos com as perspectivas de outras pessoas para que possamos encontrar um ponto de vista melhor.

Apesar de ter defendido as recentes visitas que receberam críticas em seu podcast, ele disse não querer promover desinformação ou controvérsias:

Eu nunca tentei fazer nada com este podcast além de apenas conversar com as pessoas e ter conversas interessantes. […] Quero agradecer ao Spotify por ser tão solidário durante esse período, lamento muito que isso esteja acontecendo com eles e que estejam recebendo toda essa repercussão.

Rogan também declarou ser um grande fã de Neil Young e Joni Mitchel, e pediu desculpas aos dois.

via BBC News

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Render do iMac Pro

Gurman reitera que iMac Pro terá novo design e variante do M1 Pro/Max

Próximo Artigo
Status da bateria do MacBook

Bluetooth estaria drenando bateria de Macs no macOS 12.2

Posts Relacionados