O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Mapa em um iPhone

Apps continuam vendendo dados de localização de usuários

Apesar das restrições impostas por Apple e Google

Apesar de a Apple tentar ao máximo proteger seus usuários e garantir a sua privacidade (até onde sabemos), nem sempre isso é possível. Segundo uma nova reportagem do Markup, diversos aplicativos para iOS continuam vendendo dados de localização de usuários para outras empresas.

Publicidade

Sem citar nomes, a reportagem afirmou que esses apps conseguem escapar das restrições de privacidade impostas pela Apple e pelo Google, coletando dados de usuários em seus servidores — algo que, até o momento, não é regularizado ou contra as regras de ambas as lojas de aplicativos.

Antes das novas restrições, apps podiam facilmente vender dados de localização de usuários a partir de SDKs1 embutidos em seus códigos. No entanto, com o aumento das medidas pró-privacidade da Apple e do Google, eles passaram a utilizar o novo método: vender dados de localização dos usuários por meio de transferências “de servidor para servidor” — algo que acontece fora da área de atuação das lojas de aplicativos.

Conforme a reportagem:

Publicidade

A política [de privacidade] da Apple exige que os aplicativos divulguem quais dados estão coletando das pessoas e como podem ser usados, e obtenham o consentimento dos usuários antes de compartilhar seus dados. No entanto, não exige que os aplicativos divulguem exatamente para quem estão vendendo dados, e muitos aplicativos simplesmente afirmam que “compartilham dados com parceiros”.

Além disso, a reportagem afirmou que aplicativos podem ganhar de US$12 mil a US$1 milhão por ano com a venda desses dados. A reportagem também fala sobre a venda de dados de localização de usuários pela Life360 — empresa que recentemente comprou a Tile.

A Apple não respondeu aos pedidos de comentários do The Markup, mas segundo o site, no passado, ela deu apenas declarações vagas sobre como lida com as transferências de servidor para servidor usadas por esses corretores de dados.

No fim das contas, o artigo relata que, infelizmente, apenas legislações mais duras poderão previnir que isso continue a acontecer de fato.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
"CODA", do Apple TV+

"CODA" ganha Melhor Filme Independente nos NAACP Awards

Próximo Artigo
Samsung Galaxy S22

Galaxy S22 perde para iPhone 13 em teste de queda

Posts Relacionados