O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Quais as diferenças entre o Studio Display e o Pro Display XDR?

Apple Studio Display e Pro Display XDR

Dentre os anúncios do evento “Peek Performance” de ontem, certamente o novíssimo Mac Studio ao lado do Studio Display foram os maiores deles.

Publicidade

Para aqueles que não ficaram sabendo, o Apple Studio Display é o mais novo monitor oferecido pela Maçã e conta com uma série de novidades e recursos que o tornam a melhor opção para usuários de Macs que desejam uma telona para complementar seu setup.

No entanto, conforme alguns devem ter notado, a Apple continua vendendo o seu monitor topo-de-linha, o Pro Display XDR, lançado em 2019. E é aí que muitos podem se perguntar: quais são as diferenças entre o Studio Display e o Pro Display XDR? Será que elas compensam o valor a mais cobrado pelo modelo antigo e beeem mais caro?

Design e tamanho

Em termos de design, o Studio Display é basicamente uma mistura entre o iMac e o Pro Display XDR. Ele conta com um corpo todo em alumínio, laterais chatas e uma traseira sem os característicos furos do Pro Display XDR.

Publicidade

Em termos de tamanho, temos talvez a diferença mais perceptível entre os dois monitores. Enquanto o Studio Display conta com uma tela de 27 polegadas, o Pro Display XDR esbanja uma de 32 polegadas. Lado a lado, é perceptível a diferença de tamanho entre os dois, tornando o Studio Display a solução ideal para aqueles que possuem um espaço menor — mesmo que a sua tela esteja bem longe de ser considerada pequena.

Em termos de dimensões, o Studio Display mede 62,3×47,8cm (com a base com ajuste de inclinação), enquanto o Pro Display XDR mede 71,8×41,2cm. Estranhamente, apesar de ser bem menor que o Pro Display XDR, o Studio Display é ligeiramente mais pesado (7,7kg contra 7,48kg) — não que o peso de um monitor seja super-importante.

Outra diferença fica por conta dos seus suportes. Durante o lançamento do Pro Display XDR em 2019, a Apple espantou muitas pessoas quando anunciou que o stand do monitor seria vendido separadamente por espantosos US$1.000.

Por padrão, o Studio Display é vendido com uma base com ajuste de inclinação — uma angulação de 30º, que deve ser suficiente para a maioria dos usuários. Entretanto, ainda é possível escolher entre uma base com ajuste de inclinação de altura (que conta com um braço de contrapeso que faz com que a tela fique leve ao ajuste) ou um adaptador para montagem VESA (que suporta orientação paisagem ou retrato).

Vale notar, contudo, que a escolha do suporte é feita somente no momento da compra. Conforme notou o MacRumors, eles não são posteriormente substituíveis.

Tela

Em termos de tela, temos grandes diferenças entre um monitor e o outro, visto que o Pro Display XDR é destinado a um publico bem mais profissional e exigente do que o seu irmão menor.

Publicidade

Comecemos pelo novato: o Studio Display conta com uma tela Retina 5K com 27″, com resolução de 5120×2880 pixels (resultando em 218 pixels por polegada), 600 nits de brilho, suporte a 1 bilhão de cores, ampla tonalidade de cores P3 e tecnologia True Tone.

Por outro lado, o Pro Display XDR conta com especificações mais impressionantes, começando por uma tela Retina 6K de 32″, com resolução de 6016×3384 pixels (também resultando em 218 pixels por polegada), até 1.600 nits de brilho, uma taxa de contraste de 1.000.000:1, amplo ângulo de visão, suporte total a HDR1, 10 bits de cores com ampla gama P3 e tecnologia True Tone.

Também vale notar que o Studio Display conta com bordas ligeiramente mais espessas do que as presentes no Pro Display XDR.

Apple Studio Display vs. Pro Display XDR

O Pro Display XDR conta com ângulo de visualização superamplo e 576 zonas de controle local de intensidade do brilho, as quais — “similar” às telas Mini-LED presentes nos últimos MacBooks Pro e no iPad Pro de 12,9 polegadas — permitem a reprodução de pretos mais profundos (próximos ao do OLED2) em certas partes da tela.

Isso é algo que não está presente no Studio Display, que, assim como telas LCD3 tradicionais, possui um único backlight por trás da tela. E, apesar de o Pro Display XDR não ser considerado uma tela Mini-LED, ele chega bem mais perto do que o Studio Display.

Ambos os monitores também suportam taxas de atualização de até 60Hz, seleção de modo de imagem, modos de imagem personalizados, indicador de status de imagem, controle de brilho, detecção de orientação vertical/horizontal, Night Shift, calibração pelo usuário e compatibilidade com reprodução em Dolby Vision, HDR10 e Hybrid-LogGamma (HLG).

Ambos ainda podem ser configurados (e ficam bem mais caros) com o vidro nano-texture, o qual diminui a reflexividade da tela em ambientes muito claros.

Áudio e vídeo

Como o Pro Display XDR é direcionado a um publico bem mais restrito (como profissionais de imagem e edição de vídeos), ele não conta com todos os recursos mais comuns em monitores externos dedicados ao uso pessoal.

Exemplo disso é a webcam: enquanto o Pro Display XDR não conta com uma webcam integrada, o Studio Display vem com uma câmera ultra-angular de 12 megapixels com ângulo de visão de 122° (abertura ƒ/2.4) embutida. Isso possibilita que o recurso Palco Central (Center Stage) seja trazido pela primeira vez aos Macs.

Para aqueles que não estão familiarizados, o Palco Central é um recurso presente em toda a linha de iPads (com a adição recente do iPad Air de quinta geração) que lhe mantém automaticamente enquadrado em uma chamada de vídeo, mesmo que outras pessoas apareçam por perto.

Outro recurso omisso no Pro Display XDR são alto-falantes. Neste quesito, o Studio Display esbanja um sistema de seis alto-falantes de alta-fidelidade e woofers com cancelamento de força, os quais possibilitam som estéreo e reprodução de músicas e vídeos em Áudio Espacial com Dolby Atmos.

O Studio Display também conta com um conjunto de três microfones com qualidade de, vejam só, estúdio (com alta relação sinal-ruído e filtragem espacial direcional) e suporte integrado ao recurso “E aí, Siri”.

A maioria destas novidades, vale notar, foram possibilitadas graças à presença do chip A13 Bionic (o mesmo presentes nos iPhones 11) no Studio Display, garantindo a melhor integração possível com outros Macs e um gerenciamento nativo da tela, da webcam e dos alto-falantes.

Conectividade

Em termos de conectividade, o Studio Display também sai na frente. Enquanto o Pro Display XDR conta com três portas USB-C 2.0 e uma porta Thunderbolt 3 (com suporte a até 96W de recarga), o Studio Display conta com a mesma porta USB-C/Thunderbolt 3 (96W) e três portas USB-C com até 10Gbps.

Ambos são capazes de recarregar qualquer modelo de MacBook, mas o Studio Display é inclusive capaz de dar recarga rápida ao MacBook Pro de 14 polegadas.

Compatibilidade

Em termos de compatibilidade, o Pro Display XDR sai na frente, visto que foi lançado há mais tempo e portanto suporta Macs rodando o macOS Catalina 10.15.2 ou posterior.

O Studio Display, por sua vez, é compatível com Macs rodando o macOS Monterey 12.3 ou posterior. Ambos são compatíveis com iPads Pro de 11 polegadas, iPads Pro de 12,9 polegadas (terceira geração ou posterior) e o iPad Air de quinta geração.

Conforme explicou o 9to5Mac, o iPad Air de quarta geração e o iPad mini não são compatíveis com ele porque suas portas USB-C são do tipo USB 3.1 Gen 1, limitada a uma banda de 5Gbps; os mais novos, por sua vez, são USB 3.1 Gen 2, chegando a 10Gbps.

Conteúdo na caixa e acessórios

Na caixa do Studio Display, além do monitor em si, você encontrará apenas um cabo Thunderbolt de 1m. Talvez para compensar seu valor astronômico, o Pro Display XDR conta com alguns acessórios extras, incluindo cabo de alimentação de 2m, um cabo Thunderbolt 3 Pro da Apple (2m) e um pano para limpeza.

Com a apresentação do Studio Display, a Apple também aproveitou a ocasião para lançar novos Magic MouseMagic Trackpad e Magic Keyboard com Touch ID e teclado numérico (os quais são vendidos separadamente) com uma nova opção de cor preta e prata — os quais combinam bem tanto com o Studio Display quanto o Pro Display XDR.

Qual comprar?

O preço talvez seja o maior diferencial entre os dois monitores. Enquanto o Pro Display XDR é vendido por assustadores US$5.000 (ou R$43 mil), sem o suporte incluso, o Studio Display é oferecido por um valor muito mais palatável aos consumidores: US$1.600 (ou R$18 mil) — apesar de ainda ser considerado caro.

De qualquer forma, é perceptível que há uma grande diferença entre os preços dos dois, que está relacionado ao fato de o Pro Display XDR ser destinado a um público muito mais profissional (e endinheirado) do que o Studio Display, que claramente é a solução para os usuários de Mac (ou até profissionais) que desejam um monitor da Maçã sem pagar um valor exorbitante para isso.

Além disso, o Pro Display XDR já foi lançado pela Maçã há pelo menos dois anos, então pode ser que, mais cedo ou mais tarde, ele ganhe especificações um pouco mais modernas.

Apesar de ainda não termos visto os dois lado a lado, é bem improvável que haja uma diferença grande o suficiente em qualidade de tela que justifique gastar mais do que o triplo de um Studio Display em um Pro Display XDR.

Então, o resumo da ópera é o seguinte: o Studio Display é o monitor ideal para a maioria dos usuários e até profissionais que necessitam de um monitor moderno e com uma ótima qualidade de imagem. Já o Pro Display XDR é destinado apenas a estúdios e empresas que exigem uma qualidade e calibração de imagem de níveis além do que os nossos olhos podem ver. 😉

Apple Studio Display Pro Display XDR

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão de vendas concluídas por meio de links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
iPad Air de quinta geração voando, em todas as cores

Afinal, o que muda no novo iPad Air em relação ao anterior?

Próximo Artigo
Mac Studio de frente

Evolução do mini, Mac Studio "retoma" Macs intermediários

Posts Relacionados