O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

3D Touch no iPhone XR

Patentes da Apple sugerem volta do 3D Touch, leitor de pressão arterial e mais

Entre Force Touch e 3D Touch, as tecnologias de detecção de pressão da Apple já tiveram alguns nomes, dependendo do produto. O fato é que, com a exceção dos trackpads de MacBooks e das perninhas dos AirPods, elas já saíram de cena em todos os produtos nos quais deram as caras, como iPhones e Apple Watches. Mas será que essa morte é definitiva?

Publicidade

Ainda é cedo para dizer, mas uma série de patentes registradas recentemente pela Apple — e publicadas pelo Patently Apple — mostram que os engenheiros da Maçã estão trabalhando em formas mais modernas de dar aos seus dispositivos novas capacidades de sentir a pressão do seu toque. Ou seja… pelo visto, um retorno do Force/3D Touch volta a ter um fio de esperança no horizonte.

As patentes cobrem tecnologias de sensores de força/pressão para “dispositivos de formato reduzido” — o que pode significar basicamente qualquer coisa, desde iPhones a Apple Watches e até mesmo AirPods.

A tônica está na redução dos componentes que possibilitam a tecnologia: segundo os engenheiros da empresa, sensores de pressão atuais utilizam placas capacitivas compressíveis e sensores piezoelétricos — conjuntos que ocupam “volume substancial” nos dispositivos, o que impede o seu emprego em aparelhos menores.

Para superar essa barreira tecnológica, os engenheiros descrevem um “sensor de pressão microeletromecânico de fluidos” — o que, grosso modo, poderia espalhar múltiplos módulos de microssensores ao longo de uma superfície ou tela. Com isso, seria mais fácil incorporar a tecnologia a dispositivos menores ou mesmo levá-la de forma mais eficiente a aparelhos maiores, como os iPads.

Publicidade

Os microssensores teriam o benefício ainda de uma maior sensibilidade na detecção de força: por serem estruturas mais flexíveis e baseadas no deslocamento de fluidos, elas podem registrar muito mais pontos de pressão, abrindo várias novas camadas de uso para uma futura versão do Force/3D Touch.

Apple Watch

As patentes da Apple, entretanto, vão além da simples detecção de força no toque — e o Apple Watch poderia ser um dos produtos mais beneficiados das novas tecnologias propostas.

Publicidade

Para início de conversa, os engenheiros da empresa imaginam um futuro relógio sem botão físico: apenas uma superfície capaz de responder à pressão do seu toque (e, presumivelmente, com um retorno tátil correspondente). Juntando isso à patente do sensor óptico no lugar da Digital Crown, é possível imaginar um futuro Apple Watch sem partes móveis — e, portanto, muito mais durável e protegido de detritos.

Indo além, os microssensores poderiam ser utilizados para outros fins: as patentes descrevem, por exemplo, um módulo em contato com a artéria radial do usuário que poderia — graças à sensibilidade da tecnologia — ser utilizado para detectar pressão arterial, frequência cardíaca, tempo de trânsito de pulso (TTP), idade arterial, índice de aumentarão (AIx) e muito mais. Assombroso, não?

Naturalmente, todas essas perspectivas ainda são deveras distantes — se é que as tecnologias verão, de fato, a luz do dia. Ainda assim, as ideias são bastante interessantes, não?

via 9to5Mac

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Cider no Windows

Cider leva a experiência nativa do Apple Music ao Windows

Próximo Artigo

Com Elisabeth Moss e Wagner Moura, "Iluminadas" tem trailer divulgado pelo Apple TV+

Posts Relacionados