O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Gmail no iPhone
Diego Thomazini / Shutterstock.com

Falha no app do Gmail permite troca fácil da senha do Google

Há uma forma simples de (tentar) evitar o problema, entretanto

Mesmo que você não tenha o Google como “depósito central” da sua vida online, é bem provável que sua conta da empresa contenha, no mínimo, algumas informações sensíveis — e, para a maioria dos usuários, a perda do controle dessa conta pode ser desastrosa.

Publicidade

O que dizer, então, de um app que permite a mudança fácil da senha que protege as suas informações, bastando que uma pessoa mal-intencionada tenha acesso ao seu smartphone desbloqueado?

Foi exatamente o que mostrou o jornalista Gabriel Justo – e não, não estamos falando de um app obscuro e presente em poucos smartphones, e sim de um dos aplicativos mais populares e usados do Google: o Gmail.

Como mostrou o jornalista, o aplicativo do Gmail para iOS traz uma falha de segurança que permite a qualquer pessoa alterar rapidamente a senha da sua conta do Google — basta ter o seu smartphone desbloqueado em mãos. Isso acontece porque o app entende que, como é o seu próprio aparelho que está solicitando a troca, não há necessidade de fazer uma verificação adicional, como uma confirmação de código (autenticação de dois fatores) ou autenticação biométrica via Face ID/Touch ID.

Publicidade

De acordo com Justo, criminosos têm utilizado esse buraco de segurança a seu favor. Como já tratamos por aqui, as modalidades de roubo recentes, especialmente em cidades maiores, têm focado bastante em pessoas que utilizam o celular na rua (trocando mensagens, esperando um carro de aplicativo ou usando um app de navegação, por exemplo); desta forma, os bandidos pegam o celular desbloqueado e podem acessar mais facilmente apps de banco e outras informações sensíveis. Ao trocar a senha da conta do Google e “trancar o usuário do lado de fora”, por assim dizer, o roubo de dados fica ainda mais fácil.

A equipe do Tecnoblog verificou a denúncia e confirmou que, em contas sem a autenticação de dois fatores, o comportamento de fato existe. Caso a autenticação dupla esteja ativada, o processo é um pouco mais complicado: o invasor precisa “confirmar” sua identidade por meio de um método alternativo, como o código de desbloqueio do celular ou o envio de um código a um email secundário — que, se também estiver cadastrado no aparelho, pode representar uma forma alternativa de alterar a senha da conta.

Ou seja: ao menos até o Google implementar uma solução mais robusta para impedir a troca de senha, a medida mais fácil e segura de impedir (ou tentar impedir) a mudança é ativar a autenticação de dois fatores na sua conta — caso você não saiba como fazê-lo, basta seguir os passos desse guia — e usar um aplicativo como o 1Password (o qual exige uma senha, Touch ID ou Face ID) para armazenar essa senha de uso único.


Ícone do app Gmail: E-mail do Google
Gmail: E-mail do Google de Google LLC
Compatível com iPadsCompatível com iPhones
Versão 6.0.220801 (423.5 MB)
Requer o iOS 14.0 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App Store Código QR Código QR

Ícone do app 1Password - Password Manager
1Password - Password Manager de AgileBits Inc.
Compatível com iPadsCompatível com iPhonesCompatível com Apple WatchesCompatível com o iMessage
Versão 7.9.7 (174.7 MB)
Requer o iOS 12.2 ou superior
GrátisBadge - Baixar na App Store Código QR Código QR

Ícone do app 1Password 7 - Password Manager
1Password 7 - Password Manager de AgileBits Inc.
Compatível com Macs
Versão 7.9.6 (71.9 MB)
Requer o macOS 10.12.6 ou superior
GrátisBadge - Baixar na Mac App Store Código QR Código QR

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão de vendas concluídas por meio de links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Vladmir Putin

Rússia autoriza a venda de produtos Apple no mercado paralelo

Próximo Artigo
MacBook Pro de 16" com chip M1 Max

Apple adia entregas de MacBooks Pro para junho nos EUA

Posts Relacionados