O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Mac Studio: a nova aproximação da Apple em direção aos escritórios

Já faz algumas semanas que o Mac Studio está entre nós. Você, inclusive, já assistiu nossos vídeos aqui de unboxing e hands-on do badalado novo Mac — se ainda não assistiu, deveria! 😉

Publicidade

Para quem gosta de tecnologia, Apple e procura ler/assistir diferentes pontos de vista de lançamentos, deve ter notado diversas percepções em relação ao novo lançamento da empresa de quase US$3 trilhões.

Por um lado, muitos estão encantados com o desempenho da nova máquina. Vamos combinar que não tínhamos nem superado o impacto do desempenho absurdo dos novos MacBooks Pro com chips M1 Pro/Max — algo bem acima das expectativas — e então chega o M1 Ultra com uma proposta quase surreal.

Esse poder todo gerou uma outra linha de avaliações: quem precisa de tanto desempenho? Teria a Apple rompido a lógica da capacidade overqualified em seus Macs? Me permita, aqui, uma crítica bem pessoal: para mim, desempenho nunca é demais.

Publicidade

As empresas precisam ter opções para todos os bolsos e necessidades, alcançando diferentes públicos e nichos. Além disso, você nunca será obrigado a comprar o flagship da categoria de produtos. Analisando o Mac Studio e suas versões, tenho a impressão de que a Apple está procurando se aproximar mais de ser uma opção real para escritórios.

Três fatores me levam a essa conclusão.

Precificação

Analisando a tabela de valores dos Macs, o Mac Studio criou um escalonamento maior entre as opções de preços, como observado por Andrew O’Hara, do AppleInsider.

Publicidade

Considerando os computadores portáteis, temos hoje:

  • MacBook Air: US$1.000
  • MacBook Pro 13″: US$1.300
  • MacBooks Pro de 14″e 16″: US$2.000+

Já para desktops, o range de preço era muito grande:

  • Mac mini: US$700
  • iMac: US$1.500
  • Mac Pro: US$6.000

E temos que levar em consideração que apenas o Mac Pro possui uma configuração mais profissional, sendo os outros dois produtos de entrada.

Publicidade

Com o Mac Studio, temos agora dois produtos intermediários, o Mac Studio com M1 Max (começando em US$2.000) e o Mac Studio com M1 Ultra (a partir de US$4.000) — importante notar que essa versão mais cara já vem com 64GB de memória e 1TB de armazenamento.

Para quem costuma fazer upgrades, uma opção bastante competitiva é considerar o pacote completo oferecido. Analisando empresas de diferentes perfis, o computadores da Apple se tornam uma alternativa viável para aquisição, especialmente considerando o programa Apple Business Essentials — além dos descontos educacionais, que podem beneficiar instituições de ensino de diferentes naturezas.

Upgrades parciais e integração

Profissionais de diferentes áreas, em especial de tecnologia e design, possuem gostos específicos quanto às suas ferramentas de trabalho. Monitores de alta resolução, teclados mecânicos, mouses anatômicos, entre outros periféricos que precisam ser acoplados para seu trabalho e eficiência.

Mesmo com a melhora considerável do MacBook Pro, ao adquirir um notebook, você está comprando um pacote fechado que envolve teclado, tela, trackpad e um limite de integração com outros periféricos. Ao oferecer um desktop poderoso, pequeno e independente, a Apple passa a atender de maneira muito mais personalizada a esses grupos.

Traseira do Mac Studio com todas as suas portas

O Mac Studio possui um número muito maior de portas e conexões. Além disso, caso o profissional tenha já seu kit de trabalho preferido, não precisa abrir mão de todos, mas apenas trocar a CPU1, tornando maior a probabilidade de uma adesão ao novo Mac e também de futuros upgrades. Essa é uma tendência tão interessante, que já existe quem compre MacBooks sem a tela.

Mobilidade

Parece estranho citar mobilidade ao falar de um desktop, mas sim, esse item é um diferencial no Mac Studio. É possível montar PCs muito potentes para diferentes finalidades, mas ao montar um equipamento diferenciado, na grande maioria dos casos, você terá uma máquina pesada e desajeitada para carregar, feita para estar em um lugar fixo sempre. E tudo bem, afinal desktops são feitos para isso.

No entanto, o tamanho e peso do Mac Studio são diferenciais. É possível usar até sua sua caixa com a alça para transportar facilmente o equipamento. Empresas com diferentes abordagens, como produtoras de vídeo, organizadoras de eventos, promotoras de cursos e workshops, por exemplo, podem utilizar uma máquina poderosa em suas atividades em diferentes locais, usando projetores de vídeo ou monitores locais para trabalhar.

Pessoa trabalhando em Mac Studio com o Studio Display

Conclusão

Há muito tempo, a Apple tem o dom de nos fazer perceber que “precisamos” de algo que nunca imaginávamos antes. Tirando de lado as estratégias de venda e marketing, os produtos são surpreendentemente diferenciados e atrativos.

Tudo depende da sua necessidade, do seu interesse, do seu gosto e, especialmente, do seu poder aquisitivo! Observando sob a ótica do mundo corporativo, os novos Macs podem encontrar um nicho bem atraente, aproximando a Apple novamente dos escritórios, oferecendo máquinas para diferentes perfis empresariais e profissionais.

Mac Studio

NOTA DE TRANSPARÊNCIA: O MacMagazine recebe uma pequena comissão de vendas concluídas por meio de links deste post, mas você, como consumidor, não paga nada mais pelos produtos comprando pelos nossos links de afiliado.

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Mulher usando um iPhone

Os 5 artigos mais lidos no MacMagazine: de 24 de abril a 1º de maio

Próximo Artigo

Vídeo: "HomeKitzando" o meu ar-condicionado com o Sensibo Air

Posts Relacionados