O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

Shutterstock.com
União Europeia

Europa define ainda mais exigências contra as Big Techs

Um comitê do Parlamento Europeu avançou, nesta semana, um acordo entre os estados membros sobre a Lei dos Mercados Digitais (Digital Markets Act, ou DMA) — proposta de legislação que busca combater o monopólio e o suposto poder excessivo de empresas como a Apple, o Google e a Meta no mercado de tecnologia.

Publicidade

Com 43 votos a favor, 1 contra e 1 abstenção, o projeto fica agora apenas a um passo de obrigar empresas de tecnologia a abandonar os seus tão famosos “jardins murados” — criados justamente para manter os usuários “presos” no seu ecossistema.

Como já informamos, se aprovada, a lei obrigará os chamados gatekeepers (como a Apple) a abrir suas lojas de apps para sistemas de pagamentos alternativos e permitir o download de aplicativos a partir de fontes alternativas (prática também conhecida como sideloading).

Ademais, a Maçã também seria forçada a garantir interoperabilidade de seus serviços (como o iMessage e o FaceTime) com opções de terceiros (WhatsApp e Zoom, por exemplo).

Publicidade

Os gatekeepers terão que cumprir uma série de obrigações, incluindo garantir a interoperabilidade de seus serviços de mensagens com os menores. Isso significa que plataformas menores poderão solicitar a abertura de serviços de mensagens dominantes para permitir que seus usuários troquem mensagens, mensagens de voz ou arquivos entre aplicativos. Isso dará aos usuários mais opções e evitará o chamado efeito “lock-in”, onde eles estão restritos a um aplicativo ou plataforma.

O acordo também estabelece planos para a criação de um “grupo de alto nível” de reguladores digitais da Europa para coordenar a questão antitruste nos estados membros da UE. A regra exigiria efetivamente que empresas como a Apple criassem um departamento interno dedicado a atender aos regulamentos pró-concorrência.

Com essa aprovação preliminar, o projeto segue agora para uma última votação no Parlamento Europeu, a qual deverá ocorrer no fim de julho. Caso um resultado favorável se repita, as empresas terão 20 dias após a publicação da lei no Jornal Oficial da UE para se adequarem aos novos termos — e as coerções começarão a ser aplicadas seis meses depois disso, ou seja, a partir de 2023, como já divulgado.

As empresas que desobedecerem as novas regras poderão ser multadas em até 10% de seu lucro anual do ano anterior. Em caso de reincidência, a Comissão Europeia poderá aumentar esse número para 20%.

Publicidade

Vamos continuar acompanhando, portanto.

via MacRumors

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Earth 3D - World Atlas

Promoções na App Store: Earth 3D, The Chronos Principle, The Great Tea App e mais!

Próximo Artigo
Suporte da Apple

Mulher perde US$1.500 em golpe do "suporte da Apple" [atualizado: errata]

Posts Relacionados