O melhor pedaço da Maçã.
MM News

Receba os nossos principais artigos diariamente, por email.

apple.com

Acompanhe a evolução do Apple.com desde os anos 1990

O site da Apple é provavelmente o melhor local para aprender, analisar ou simplesmente namorar os produtos da Maçã. Isso porque, como muitos dos leitores deste site devem estar carecas de saber, ele conta com páginas de produtos detalhadas (e bem bonitas, diga-se), acesso a suporte técnico de qualidade e uma loja virtual onde é possível comprar seus dispositivos com facilidade e rapidez.

Publicidade

Mas… isso nem sempre foi assim. Tanto a loja online da Apple, chamada Apple Store Online, quanto o próprio site da empresa, passaram por muitos banhos de “loja” (desculpem o trocadilho) até chegarem ao design, à funcionalidade e à facilidade de uso com os quais contam hoje.

Quando foi lançado, no início dos anos 1990 (e nos primórdios da internet), o site era bem mais simples, tal qual a internet da época. Com o passar dos anos, porém, ele foi evoluindo e se tornando cada vez mais repleto de informações e, por consequência, um pouco mais caótico e talvez desorganizado. Mas isso foi lá no início dos anos 2000, quando a internet ainda estava se desenvolvendo e se descobrindo como o berço de todas as coisas.

De qualquer maneira, é possível ver como a site dela foi mudando conforme a tecnologia, a linguagem de design e a filosofia da empresa foram evoluindo. Analisando as diferentes iterações do site, é possível casar o seu design não só com o ano, mas com os produtos lançados na época — passando pela linguagem de design translúcida, para os anos do policarbonato branco, do alumínio e, então, a linguagem flat/simplificada de hoje em dia.

Publicidade

Para uma leitura mais detalhada sobre essas diferentes fases de design da empresa, vale a pena conferir o post do Bruno Santana abaixo — o qual detalha essas diferentes filosofias. 😉

Mas design de produtos à parte, fato é que o Apple.com também passou por diversas modificações ao longo dos anos, e é exatamente isso que exploraremos a seguir.

Vale notar que grande parte das imagens deste post foram retiradas do site Version Museum, que conta com um grande banco de imagens históricas relacionadas a empresas da tecnologia, e da Wayback Machine, um arquivo datado com mais de 668 bilhões de páginas da internet que podem ser exploradas.

Criação

Muitos devem saber que, durante os anos 1990, a Apple passou por um período de queda e acensão (ou renascimento, se assim quisermos chamar). Após um início de década complicado, recheado de produtos falhos e más decisões de negócios, a volta de Steve Jobs à empresa, em 1997, trouxe consigo diversas mudanças para ela.

Uma das empreitadas iniciadas por Jobs foi a de criar uma loja online que fosse referência no mercado. Isso porque, na época, Jobs tinha uma rixa enorme com o então CEO1 da Dell, Michael Dell, que em suma se resumia a uma frase proferida pelo executivo durante uma entrevista. Quando perguntando o que ele faria para consertar a (à beira da falência) Apple, Dell disse:

Eu a fecharia e daria de volta o dinheiro aos acionistas.

Michael Dell, CEO da Dell, numa entrevista em 1997.

Apesar de ter clarificado seu comentário em 2011 (14 anos depois é fácil, mas tudo bem), Jobs ficou ultrajado com a fala dele e imediatamente decidiu competir frente à frente com a empresa. Um dos primeiros passos para isso foi construir uma loja online melhor do que a da empresa rival — site o qual havia sido criado pela própria NeXT (empresa fundada por Jobs após sair da Apple, na década de 1980).

Publicidade

Em seu primeiro mês no ar, a Apple Store Online gerou US$12 milhões em receita — o que, na época, significava um valor bem generoso para a companhia. Mas antes do lançamento da Apple Store Online, em 1997, ela já contava com o Apple.com desde o início dos anos 1990. Então, comecemos pelo início.

Anos 1990

Com a ascensão da internet no início do anos 1990, muitas empresas correram para criar seus próprios sites — mesmo que a internet ainda fosse um nicho, com pouquíssimas pessoas realmente acessando tais páginas.

Durante esses anos, o Apple.com passou por cinco designs diferentes — cada qual com uma linguagem visual e quantidade de informações diferentes. O primeiro deles, retratado na imagem abaixo, continha apenas uma lista de atalhos os quais não remetem nem de longe as categorias de hoje. Inclusive, se algum de vocês souber me explicar o que um Smorgasbord tem a ver com a Apple, me conte aí nos comentários. 😜

Apple.com em 1992
Apple.com em 1992

Em sua primeira versão, é visível que a Apple não sabia muito bem qual era o propósito do site, mas isso não era nem de longe culpa dela, mas do processo de descoberta e amadurecimento da internet que ainda estava em seus primórdios.

Em 1996, a segunda iteração do site chegou com uma mudança radical de design. Lá se foi o visual datado, inspirado no logo colorido, em prol de um design mais classudo e banhado no esqueumorfismo — uma linguagem a qual a Apple usou por muitos anos em seus sistemas operacionais, até o iOS 6.

Apple.com em 1996
Apple.com em 1996

A segunda versão do site também ganhou novas páginas destinadas a produtos, serviços para desenvolvedores e, vejam só, comunidades — que provavelmente são as antecessoras dos fóruns de suporte presentes no site hoje.

Em todo o caso, o site estava longe de transmitir a simplicidade e a filosofia da empresa — e, para ser sincero, a sua terceira versão não ajudou muito com isso.

Entre 1998 e 1999, porém, o site recebeu boas melhorias, incluindo um design mais clean. Fica um elogio às imagens bem maiores dos produtos, valorizando o design e a inovação que a Apple voltou a ser reconhecida nesses anos.

  • apple.com em 1998
  • apple.com em 1999

Translúcido (2000 – 2001)

Mas a década de 1990 não chegou aos pés das inovações trazidas pela Maçã nos anos 2000, e isso refletiu fortemente no site da empresa.

Com o lançamento de Macs translúcidos e designs cada vez mais icônicos, a Maçã começou a refletir essa filosofia em seu site — começando por botões mais arredondados (seguindo a linha do iMac) e o uso constante de reflexos, como pode ser visto na imagem abaixo:

Essa também foi a primeira iteração do site a contar com uma barra de navegação na parte superior da tela, separando os principais serviços da empresa por abas — elemento presente até hoje.

Consequentemente, com o lançamento de novos produtos (como o iPod, o iMac G4 e G5, o iBook e o AirPort — para citar alguns), construídos em policarbonato branco, a Apple também começou a refletir essa linguagem em seu site.

Entre 2001 e 2006, o Apple.com não teve muitas mudanças, mas foi atualizado para incluir os principais produtos da empresa na barra superior.

Já nessa época, ele era usado para relembrar datas históricas com temas importantes, como a morte da ativista negra americana Rosa Parks (1913 – 2005), que foi um dos principais símbolos do movimento por igualdade e direitos civis para a comunidade afroamericana nos EUA.

A página inicial também sempre foi usada para divulgar as mais variadas campanhas de publicidade da Maçã, incluindo a saudosa campanha Get a Mac.

2007 – 2010

O lançamento do iPhone, em 2007, foi um evento que mudou não só a trajetória da Apple, mas a forma como a empresa era conhecida pelo público. Foi exatamente nesse ano que a Maçã retirou o Computer do seu nome e passou a se chamar Apple Inc. — um nome que melhor representava o seu foco cada vez maior em dispositivos móveis.

Com todas essas mudanças em andamento, a empresa também deu uma bela repaginada no seu site — talvez uma das maiores até hoje —, deixando de lado a nostálgica referência ao plástico branco e translúcido em favor de uma barra superior imitando o alumínio (material cada vez mais usado em Macs e no próprio iPhone).

apple.com em 2007apple.com em 2007

A aba “Loja” também recebeu grandes mudanças, tornando ainda mais fácil achar o produto desejado, encontrar promoções, novidades e links úteis.

2011 – 2014

Em 2011, a barra superior ganhou novamente um redesign, agora numa cor mais escura e com um efeito glossy — demonstrando o comprometimento da Maçã em acompanhar a linguagem visual dos seus produtos e sistemas operacionais no site.

Aqui, só consigo pensar na semelhança com o vidro traseiro do iPhone 4 (o iPhone mais recente da época) e, talvez, a linguagem esqueomórfica do iOS.

Também foi nessa época que a página de downloads do Apple.com foi aposentada, deixando para a Mac App Store a tarefa de alocar os aplicativos para OS X.

Downloads para Mac OS X no Apple.com

A página inicial também continuou sendo usada para retratar mensagens importantes, como a prematura morte de Jobs, em 2011, e de Nelson Mandela, em 2013; bem como algumas mensagens mais alegres, como o aniversário de 30 anos do Mac, em 2014.

2014 – 2020

E por falar em 2014, foi nesse ano que o site da Maçã passou por seu último redesign de fato. Com um visual mais flat, moderno e minimalista, o site não estava apenas seguindo a linguagem visual do iOS 7 (que rompeu com os paradigmas das versões anteriores), como também o anúncio do Apple Watch — uma categoria de produto muito mais moderna e associada com a era pós-Jobs da empresa.

Foi nesse período, também, que a aba “Loja”, presente na parte superior esquerda do site desde os anos 2000, foi removida. Isso se deu por conta de uma mudança de pensamento dentro da empresa, em que Tim Cook, visando diferenciar um pouco menos a Apple Store da Apple Online Store (suas duas experiências de compra), designou à ex-CEO da Burberry, Angela Ahrendts, o título de vice-presidente sênior de varejo da Apple — cargo que antes era dividido entre vendas online e físicas.

Sem a aba “Loja”, se você quisesse comprar um iPhone, era preciso navegar até a aba designada, escolher o modelo e, então, clicar no botão “Comprar”. A aba “Loja” facilitava tanto esse processo que, no ano passado, foi trazida de volta de uma maneira mais modernizada.

Também de 2014 para cá, a barra superior no site da Maçã só foi ficando mais cheia, hoje contando com abas dedicadas a “AirPods”, “TV e Casa”, “Só na Apple” e “Acessórios”.

Página do iPhone

As páginas expondo os produtos da Apple também mudaram bastante com o tempo, agora contando com renders cada vez mais extraordinários, vídeos e animações. Mas para não gastarmos o dia todo aqui, vamos conferir (pelo menos) como era a página inicial do iPhone original se comparada à dos iPhones 13 Pro [Max].

Uma grande diferença, não?

Futuro?

Não sabemos o que o futuro nos aguarda, mas é provável que, com o tempo, o Apple.com se torne cada vez mais simples, com animações cada vez mais fluidas (como já é praxe) e páginas cada vez mais meticulosamente desenhadas para vender os produtos do melhor ângulo possível.

Caso os rumores se mostrem verdadeiros, podemos esperar por uma aba destinada ao vindouro “Apple Car”, bem como para os especulados óculos ou headset de realidade aumentada/virtual.

De qualquer forma, é interessante olhar o passado e pensar quanto a tecnologia e a internet evoluíram nos últimos 20 anos. Será que daqui a outros 20 estaremos pensando o mesmo? 🤔

Ver comentários do post

Carregando os comentários…
Artigo Anterior
Melhor lendo em um iPad

Os 5 artigos mais lidos no MacMagazine: de 15 a 22 de maio

Próximo Artigo
Wallpapers do iPod touch

Celebre o iPod touch com esses wallpapers clássicos

Posts Relacionados